Prémio Autores entregues na Gala SPA/RTP 2011

Os Prémios Autores relativos a 2010 foram entregues na II Gala SPA/RTP 2011, numa cerimónia que decorreu no Centro Cultural de Belém,  no domingo passado (dia 20), numa edição mais uma vez apresentada por Catarina Furtado e que atribuiu a Eduardo Lourenço o Prémio para a Vida e Obra de Autor Nacional.

A realização desta Gala foi possível face à parceria existente entre a SPA e a RTP. ” A RTP ao apoiar e concretizar a realização desta gala está a prestar um verdadeiro serviço público. Sem Cultura ainda nos tornamos mais pobres, pois perdem-se os sonhos e a nossa identidade. É uma gala para premiar a cultura, não para as revistas cor-de-rosa” foram as palavras de João Lourenço, representante da SPA, aquando a apresentação dos prémios há imprensa, na passada semana.

José Jorge Letria sublinhou também ele, a importância deste evento, declarando que é a única SPA do mundo que tem uma gala anual em parceria com uma televisão pública ou privada e que a mensagem a transmitir é simples “sem autores, não há cultura”. A SPA faz “gala em fazer a gala com a RTP” acrescentou José Jorge Letria.

A edição deste ano contou com a vitória do Filme do Desassossego na categoria Cinema – Melhor Filme, o prémio para a Melhor Actriz de Cinema foi para Beatriz Batarda e o prémio para Melhor Actor de Cinema foi para Cláudio Silva.

Já a peça distinguida foi a Quixote, de João Brites. O autor Luís Mário Lopes venceu na categoria de Melhor Texto Português Representado e o actor Miguel Guilherme venceu o prémio para Melhor Actor de Teatro. O prémio para Melhor Actriz de Teatro foi para Isabel Abreu.

Na música os galardoados foram Bernardo Sasseti e Mário Cláudio pelo seu Retrato na categoria de Melhor Canção, Mário Laginha Trio pelo trabalho “Mongrel” receberam o prémio para Melhor Disco e Sérgio Azevedo com o seu “Concerto para Piano” ganhou o prémio para melhor Trabalho de Música Erudita. Sofia Pinto Coelho com o trabalho “Condenados” ganhou na categoria Melhor Programa de Informação.

Uma Viagem à Índia de Gonçalo M. Tavares recebeu o prémio de Melhor Livro de Ficção Narrativa e Depois de Dezembro, de António Carlos Cortez foi o vencedor na categoria de Poesia. Já na categoria de livro infanto-Juvenil venceu A Contradição Humana de Afonso Cruz.

Este ano foram criados dois prémios especiais, um para a Melhor Programação Autárquica que foi atribuído à Câmara Municipal de Lisboa pela sua programação de comemoração do centenário da República e um prémio para o Melhor Autor Estrangeiro, que foi atribuído a Patrick Chénaud.

O Prémio para a Vida e Obra de Autor Nacional foi atribuído a Eduardo Lourenço, pensador e filósofo, autor entre outros do livro Nós e a Europa, pela forma como tem contribuído para o evoluir da nossa sociedade, por ter criado a ideia de pensar Portugal.

Texto de Clara Inácio

Deixar uma resposta