Phantom Limb impressionou no Teatro das Figuras em Faro

Cinco corpos, cinco personagens que encarnaram as inquietações sobre a forma como vivemos e vemos o nosso corpo. Foi assim no passado dia 16 de Abril, em Faro, no Teatro das Figuras, cujo palco recebeu a mais recente criação do grupo ArQuente – Phantom Lib.

Phantom Limb é uma peça com ideia original e direção de Gil Silva e dramaturgia de André Murraças que, partindo das perguntas como “O que é o corpo?”, “O que escondemos no corpo” e “Porque o escondemos”, desperta no espetador inquietações sobre a forma como vivemos o nosso corpo e a dualidade entre o que somos e o que aparentamos ser pelo especto físico.

Este espetáculo transmite, desde o início em que o público se depara inesperadamente com as cinco personagens estátuas em palco, as inquietações centradas no corpo que são reflexo daquilo que achamos de nós e que desejamos transmitir aos outros.

A vaidade, o erotismo, a juventude, a beleza, a autoestima e os seus antagonismos são conceitos postos em cena no jogo das personagens, nas imagens projetadas e no psicadélico jogo de luzes e música.

Phantom Limb conta com a interpretação de Fúlvia Almeida, Maria José Vito, Ricardo Mendonça, Rui Cabrita e Teresa da Silva.

O grupo ArQuente é uma associação cultural algarvia, com sede em Faro, criada em 2002 que, desde então, tem desenvolvido várias atividades nas áreas de formação e de produção de espetáculos teatrais/performativos.

Reportagem de Paulo Sopa (fotos) e A. Horta (texto)


Deixar uma resposta