Paredes de Coura: Palco Iberosounds juntou portugueses e espanhóis a uma só voz

A pensar na proximidade com Espanha, a organização do Festival Paredes de Coura apostou este ano num Palco Ibérico – o Iberosound, numa tentativa de conquistar também o mercado espanhol, e se assim o pensou melhor o fez, com o apoio da Junta de Turismo da Corunha.

A organização investiu nas bandas ibéricas e algumas das bandas espanholas fizeram as delícias do festival. A programação começou no primeiro dia com Nouvelle Cuisine e terminou com Triangulo de Amor Bizarro. Uma boa surpresa, já que os festival atrai cada vez mais espanhóis que se sentem em casa, a cantar na sua própria língua.

Nouvelle Cuisine começou cedo, mas não foi por isso que não teve a devida audiência, seguiram-se os portugueses Lost Park, uma revelação no Indie alternativo, e que surpreendeu muito do público presente que desconhecia a sua existência.

No segundo dia, o palco abriu com os portugueses e dançantes Madame Godeard, seguidos das Boat Team, um banda espanhola constituída apenas por elementos femininos, que levaram ao palco a sua sensualidade e que surpreenderam positivamente os festivaleiros.

O português Samuel Úria abriu as hostes no último dia de festival, com a audiência a cantar com ele e a mostrar como a música portuguesa está em crescimento. Os Triangulo de Amor Bizarro fecharam a tarde deste palco ibérico a cantar em espanhol, (a banda foi buscar o seu nome aos já marcantes New Order) com um tema como o mesmo título da banda.

Este palco ganhou pela surpresa da junção de Espanha com Portugal, muitos portugueses e espanhois cantaram e conviveram juntos, juntando culturas e tradições fazendo a junção das linguas, durante os poucos dias que durou o festival.

Reportagem (Texto e Fotos) de Patrícia Vistas – enviada especial a Paredes de Coura

Deixar uma resposta