Olga Cadaval assinala Carnaval e Dia de S. Valentim com programação variada

Com o Carnaval e Dia dos Namorados à porta, o Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, apresenta este fim-de-semana dois programas completamente diferentes: um destinado ao público infantil, outro para adultos, apaixonados ou… nem por isso.

Para este sábado, 13 de Fevereiro, marque encontro com os seus filhos, às 16h00, no Auditório Acácio Barreiros, para assistir a “Um Encontro com… O Carnaval dos Animais”, um concerto pedagógico pelo Sintra Estúdio de Ópera, um projecto  interactivo muldidisciplinar de narrativa visual e musical, envolvendo a participação do público.

Neste encontro, onde é  apresentada a narração da obra “Carnaval dos Animais”, de Camille Saint-Saens, é relatada uma imaginária visita a um jardim zoológico, na qual os animais fazem uma grande festa, associando-se os vários instrumentos e sonoridades a cada um dos animais. A construção do espectáculo é ainda feita com a colaboração das crianças de uma escola de ensino básico de Sintra, nomeadamente através de várias ilustrações que serão projectadas durante o concerto. No final, as crianças são convidadas a subir ao palco para conhecerem de perto os músicos e os instrumentos.

Para ajudar as crianças e jovens a perceber a música, a história é narrada pelos actores Mário Sousa (que também é o autor do concerto) e Rute Lizardo, acompanhados pelo Quinteto de Trompetes Almost 6, constituído por músicos da Orquestra de Câmara de Sintra.

Para maiores de seis anos, o espectáculo está também disponível para escolas através de marcação. Os bilhetes variam entre os 5 euros para as crianças e os 7,50 euros para adultos.

Filme O Amor Natural no S. Valentim

A pensar nos pais, o Centro apresenta no dia seguinte, dia 14 de Fevereiro, às 17h30, o filme O Amor Natural, de Heddy Honigmann, um divertido documentário sobre a poesia erótica de um dos maiores poetas latino-americanos do século XX, o brasileiro Carlos Drummond de Andrade (1902-1987).

Estes poemas de Carlos Drummond de Andrade só foram publicados após a sua morte, já que o autor receava que fossem considerados pornográficos.

Neste filme, vários idosos do Rio de Janeiro lêem, comentam e vibram com os seus poemas, com um inesperado candor e memórias sobre o amor e o sexo.

Por Cristina Alves
Fotos site do Olga Cadaval

Deixar uma resposta