O regresso do Gramofone em Faro

Reportagem de Paulo Sopa 

gramofone (4)Nos dias 21 e 22 de junho, o Palácio do Tenente João de Carvalho abriu as portas e usou a criatividade e a vontade coletiva para limpar o pó de um espaço que, durante muito tempo, foi apenas de memórias. Reviraram-se casas e descobriram-se peças perdidas, adormecidas pelos anos de clausura em caves, sótãos e arcas.

À iniciativa promovida pela Faro 1540 – Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro, juntaram-se Atelier Rural, Byho – Interior Design Clinic, About Wine – vinhos & gourmet, Amormeu Acessórios, The Bike Type e Teresa Correia – criadora de Era uma vez um Botão, e ainda os parceiros Associação Nacional de Designers e o Estúdio Design Thinking.

No nº 79 da rua Conselheiro Bivar, em Faro, aquele que outrora abrigou o tenente João de Carvalho, abriu as portas fechadas há décadas, para encontrar objetos e mobiliário do quotidiano da época. As fotografias dos antigos moradores confirmam-nos que ali existiu alguém antes do pó, antes da tinta das paredes estalar, antes das teclas do piano amarelecerem… A história do palacete, essa, remonta ao primeiro quartel do séc. XIX. Após a morte de João Carvalho Ferreira, em 1806, o seu filho, o tenente João Ferreira, encomendou o edifício que foi levantado no gaveto da rua Conselheiro Bivar e da Travessa da Alfândega. Um palacete de dois pisos e oito janelas de sacada com frontões triangulares. No ano de 1833 consta que foi ali que esteve instalado o quartel general e a sede de governo do Duque da Terceira e do então marquês de Palmela. Em 1910 era propriedade de Paulo Cúmano.
Agora, depois de anos no frio da escuridão das janelas fechadas, os retratos, os móveis, os livros, a loiça, o piano e o gramofone conviveram com outros objetos, os objetos de hoje, num casamento perfeito com as artes e ofícios da cidade.

Lá, encontraram-se peças maravilhosamente restauradas pelo Atelier Rural, vinhos  criteriosamente (a)provados pela About Wine – Vinhos & Gourmet, um projeto fotográfico de Paulo Côrte-Real, acessórios únicos e personalizados AmorMeu, para além das autênticas peças de museu como livros, chávenas, “telefonias”, papéis, revistas, e muito mais …

Um evento a repetir!

Deixar uma resposta