O fado de António Zambujo enche o Coliseu dos Recreios

Foi no passado dia 7 de dezembro que António Zambujo atuou no palco  do Coliseu dos Recreios, fechando assim, com chave de ouro, uma série de concertos em Portugal antes de partir para o Brasil. A sua estreia a solo no Coliseu decorreu no centro da sala, numa arena, o que maximizou a proximidade com o público, exponenciando o carácter intimista de muito do seu repertório.

A primeira parte do concerto ficou a cargo de Silvia Pérez Cruz num trio composto pelo guitarrista Raul Fernandes, o contrabaixista Angelo Cordero e a própria, na voz e guitarra. Pela primeira vez na sala lisboeta a cantora espanhola apresentou êxitos do seu primeiro álbum, manifestando as suas ligações a Portugal, nomeadamente ao Alentejo onde vive a sua irmã. Esta foi a “ponte” perfeita para o concerto de António Zambujo, também ele pontuando o seu concerto com influências alentejanas, em particular através da participação especial do Rancho de Cantares da Aldeia de São Bento que preconizou um dos momentos altos da noite.

O cantor alentejano fez-se acompanhar por Bernardo Cruz na guitarra portuguesa, Jon Luz no cavaquinho e guitarra clássica, José Miguel Conde nos clarinetes e Ricardo Cruz no contrabaixo e direção musical. Num concerto onde tocou grande parte do repertório do seu mais recente álbum, revisitou também músicas de álbuns mais antigos e fez ainda homenagem aos brasileiros Vinicius de Moraes, Baden Powell e Carlos Da Maia.

Uma noite marcada pela boa disposição do cantor e proximidade com o público encerra assim um ano inesquecível na sua carreira, onde o seu álbum Quinto atingiu o ouro e foi distinguido pela revista Blitz como Melhor Álbum Nacional do Ano.

Texto de Ana Rita Farias, Fotografias de Sara Matos

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.