O fado de António Zambujo enche o Coliseu dos Recreios

Foi no passado dia 7 de dezembro que António Zambujo atuou no palco  do Coliseu dos Recreios, fechando assim, com chave de ouro, uma série de concertos em Portugal antes de partir para o Brasil. A sua estreia a solo no Coliseu decorreu no centro da sala, numa arena, o que maximizou a proximidade com o público, exponenciando o carácter intimista de muito do seu repertório.

A primeira parte do concerto ficou a cargo de Silvia Pérez Cruz num trio composto pelo guitarrista Raul Fernandes, o contrabaixista Angelo Cordero e a própria, na voz e guitarra. Pela primeira vez na sala lisboeta a cantora espanhola apresentou êxitos do seu primeiro álbum, manifestando as suas ligações a Portugal, nomeadamente ao Alentejo onde vive a sua irmã. Esta foi a “ponte” perfeita para o concerto de António Zambujo, também ele pontuando o seu concerto com influências alentejanas, em particular através da participação especial do Rancho de Cantares da Aldeia de São Bento que preconizou um dos momentos altos da noite.

O cantor alentejano fez-se acompanhar por Bernardo Cruz na guitarra portuguesa, Jon Luz no cavaquinho e guitarra clássica, José Miguel Conde nos clarinetes e Ricardo Cruz no contrabaixo e direção musical. Num concerto onde tocou grande parte do repertório do seu mais recente álbum, revisitou também músicas de álbuns mais antigos e fez ainda homenagem aos brasileiros Vinicius de Moraes, Baden Powell e Carlos Da Maia.

Uma noite marcada pela boa disposição do cantor e proximidade com o público encerra assim um ano inesquecível na sua carreira, onde o seu álbum Quinto atingiu o ouro e foi distinguido pela revista Blitz como Melhor Álbum Nacional do Ano.

Texto de Ana Rita Farias, Fotografias de Sara Matos

Deixar uma resposta