O Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra recebe o festival Córtex 2012

A terceira edição do Córtex 2012, o Festival de Curtas Metragens de Sintra vai decorrer no Centro Cultural Olga Cadaval entre 28 de novembro e 2 de dezembro.

O festival vai exibir dezoito curtas-metragens na Competição Nacional que concorrem ao Prémio do Público e ao Prémio do Júri e sete na Competição Internacional. O júri é composto pelas atrizes Laura Soveral e Rita Blanco, pela realizadora Teresa Villaverde e pelo crítico de cinema e editor do suplemento de cultura Ípsilon, Vasco Câmara. A organização, a Associação Cultural e Teatral Reflexo, que conta com programação de Michel Simeão e José Chaíça, anunciou também que o Córtex será o primeiro festival de cinema com uma aplicação para Iphone, com todos os conteúdos e informações sobre o festival, desenvolvido pelo estúdio de design thisislove e disponível no site do Córtex.

De destacar a presença de António Campos, realizador de After School – Depois das Aulas, estreado em 2009 nas salas de cinema portuguesas e a quem será dedicada uma retrospetiva a iniciar logo na sessão de abertura do festival, no dia 28 de novembro. Estará também acompanhado do produtor Josh Mond. António Campos, que tem uma nova longa-metragem intitulada Simon Killer e que estreou este ano no Festival Sundance, irá apresentar algumas das suas primeiras experiências cinematográficas: Puberty, a primeira curta realizada aos treze anos, as duas versões de Buy it Now, prémio Cinéfondation do Festival de Cannes, The Last 15 e, para encerrar o ciclo, My Adventures in Ladies’ Under Garments, 4th Floor.

As dezoito curtas-metragens portuguesas produzidas entre 2011 e 2012 e selecionadas para a Competição Nacional são: O Canto do Rocha, de Helvécio Marins Jr. (Doc), 19′; O Cágado, de Pedro Lino e Luis da Matta Almeida (Anim), 10′; A Comunidade, de Salomé Lamas (Doc), 20′; Down Here, de Diogo Costa Amarante (Fic), 11′; Entre Campos, de João Rosas (Fic), 30′; Inferno, de Carlos Conceição (Fic), 20′; Kali O Pequeno Vampiro, de Regina Pessoa (Anim), 9,30′; Land of my Dreams, de Yann Gonzalez (Fic), 21′; Luz da Manhã, de Cláudia Varejão, (Fic) 18′; Manhã de Santo António, de João Pedro Rodrigues (Fic), 25′; Nada Fazi, de Filipa Reis e João Miller Guerra (Fic), 20′; Noite, de Flávio Pires (Fic), 13′; Posfácio nas Confecções Canhão, de António Ferreira (Fic), 30′; pt.es, de Pedro Sena Nunes (Doc), 23′; Rafa, de João Salaviza (Fic), 25′; Sombras, de Nuno Dias (Fic), 13′; A Viagem, de Simão Cayatte (Fic), 18,30′; Os Vivos Também Choram, de Basil da Cunha (Fic), 30’.

As curtas-metragens internacionais selecionadas foram: WallFlower Tango, de Wolfram Kampffmeyer (Alemanha); Scylla, de Jean Charles Gaudin e Aurélien Poitrimoult (França); Tenis, de Vladimir Dembinski (Roménia); Teilchenbeschleunigung, de Simone Catharina Gaul (Alemanha); À Trois, de Vanessa Clément (França); Blu, de Constantine Nicolae Tanase (Roménia) e Argile, de Michaël Guerraz (França).

Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e têm o preço de 3 euros por sessão existindo também a assinatura para cinco sessões com o preço de 12 euros. Poder-se-á consultar mais informações no site do festival.

Texto de Joana Resende

Deixar uma resposta