Novidades literárias para setembro

Chega setembro e, com a entrada da saison, mais actividade no mundo dos livros, com novidades a serem lançadas pelas editoras portuguesas. Aqui ficam alguns destaques do grupo Leya.

Sandokan e Bakunine, de Bruno Margo, é uma das novidades da Teorema para o próximo mês.

Esta é a história de um escritor a quem roubaram um computador portátil e cujo romance incompleto aparece na Internet, desencadeando inesperadas reacções. Mas é também a história contada no próprio romance: a das férias de Artur – um adolescente asmático e apaixonado –, marcadas pelo desaparecimento misterioso de uma rapariga, que ele, com a ajuda de um detective e a companhia de um cão, tentará a todo o custo desvendar. E é enfim a história do explorador irlandês B. A. Barrow, mordido por uma mariposa-vampiro na Papua-Nova Guiné, a partir dos seus próprios diários. Porém, como se tudo isto não bastasse, a narrativa traz-nos ainda um pintor que matou o pai pensando que era um demónio, uma mulher que fez uma viagem a preto e branco, um assassino de feras no zoo de Tóquio e um leque de outras personagens e episódios inesquecíveis.

Sandokan e Bakunine, de Bruno Margo, Teorema, nas livrarias a 10 de setembro.

A Oficina do Livro irá lançar um romance de Nuno Amado, À espera de Moby Dick.

Um desgosto avassalador leva um lisboeta a refugiar-se numa enseada perdida dos Açores para cumprir um velho sonho: avistar baleias. Enquanto espera pela chegada dos gigantes marinhos, ocupa os dias naquele lugar dominado pelo ruído do oceano a tentar reencontrar-se e a escrever cartas para o seu melhor amigo, contando-lhe o fio dos seus dias no exílio, mas também para destinatários tão improváveis como o Instituto Nacional de Estatística, o boxeur português com mais derrotas acumuladas ou um guru de auto-ajuda de sucesso planetário. À medida que o tempo passa, consegue vencer a solidão absoluta que impôs a si próprio e estabelece contacto com os seus poucos vizinhos, como um alemão bem-humorado, que todos os dias sai sozinho para o mar, e um casal de reformados oriundo do continente, que recebe cartas do filho dos mais variados lugares do mundo. Depressa descobre que, naquela enseada, todos têm qualquer coisa a esconder e nada é exactamente o que parece.

À espera de Moby Dick, de Nuno Amado, Oficina do Livro, nas livrarias a 30 de setembro.

Com a chancela da D. Quixote, teremos o romance Verão sem homens, de Siri Hustvedt. 

Há tragédias e há comédias, não é verdade? E são frequentemente semelhantes, um pouco como os homens e as mulheres. Uma comédia depende de parar a história exactamente no momento certo.

Esta é a voz de Mia Fredrickson, a viperina e trágico-cómica narradora de Verão Sem Homens. Mia é obrigada a examinar a sua vida no dia em que, sem pré-aviso e depois de trinta anos de casamento, o seu marido lhe pede “um tempo”. Após um período de internamento num hospital psiquiátrico, ela decide passar o Verão na sua cidade natal, onde a mãe vive num lar de idosos. Sozinha em casa, Mia entrega-se à fúria e à autocomiseração. Mas, lenta e ardilosamente, a pequena comunidade rural insinua-se na sua esfera pessoal.

Verão sem homens, de Siri Hustvedt, D. Quixote, nas livrarias a 30 de setembro.

A biografia de São Francisco é a proposta da Casa das Letras, com o livro São Francisco de Assis – O Homem Por Trás da Lenda, de Augustine Thompson.

Um dos Santos mais populares da religião católica, São Francisco de Assis (C. 1181-1226) é lembrado pela sua dedicação à pobreza, o amor pelos animais e a natureza, e o desejo de seguir os ensinamentos e o exemplo de Cristo. Durante a sua vida e após a sua morte, os seus seguidores deram origem a inúmeras narrativas, histórias e relatos sobre o Santo, que, por sua vez, levaram à criação da lenda.

Nesta nova biografia, Augustine Thompson, baseando -se em novas fontes históricas, separa, pela primeira vez, o homem da lenda. O resultado é um retracto complexo e fidedigno tanto do homem como do santo. Francisco surge como um filho da burguesia italiana do século XIII, que, quando confrontado com crises existenciais inesperadas, toma decisões que desafiaram a sociedade da altura. Passou a vida a combater desafios inesperados e para os quais não estava preparado. Pela primeira vez, São Francisco de Assis surge como um ser humano bem mais complexo e conflituoso do que o santo que as biografias anteriores retractaram.

São Francisco de Assis – O Homem Por Trás da Lenda, de Augustine Thompson, Casa das Letras, nas livrarias a 24 de setembro.

Deixar uma resposta