Nova temporada do Teatro Nacional São Carlos destaca obras de Mozart

A nova temporada do Teatro Nacional São Carlos estreia-se com um ciclo dedicado a Mozart: Mozart 41, com direção musical de Martin André e a iniciar nos dias 21, 22 e 23 de setembro. Serão programados vários concertos na sala principal dedicados às quarenta e uma sinfonias de Mozart e interpretados pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, juntando-se-lhes ainda o Coro do Teatro Nacional São Carlos na interpretação do Requiem, no concerto de encerramento às 18h50 do dia 23.

Em novembro é a vez de Don Pasquale, de Gaetano Donizetti, com a interpretação de cinco récitas por José Fardilha e Eduarda Melo e com encenação de Italo Nunziata.

Em dezembro será reposta a ópera O Gato das Botas, de Xavier Montsalvatge, cantado em português e com encenação de Emilio Sagi, direção musical de João Paulo Santos e cenografia e figurinos assegurados por Agatha Ruiz de la Prada, sendo a produção do Teatro Real de Madrid. Contar-se-á também com a versão de concerto de Thais, de Jules Massenet.

O Salão Nobre irá reabrir as suas portas para receber as Leituras de Ópera Portuguesa, coordenadas pelo maestro João Paulo Santos e que irão decorrer entre os meses de outubro e dezembro, sempre às 18h00, dando a conhecer obras de Alfredo Keil, António Miró, Francisco Migone e João Cordeiro da Silva. Neste salão irá também ser apresentada Música de Câmara em seis finais de tarde, que contará com músicos convidados, ensembles da Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional São Carlos.

A Orquestra Sinfónica Portuguesa mantém-se presente nesta temporada sendo de destacar um programa dedicado a compositores norte-americanos.

Nesta temporada os preços variam entre os vinte e os sessenta e cinco euros para a ópera e uma assinatura especial de fim-de-semana no valor de quarenta e um euros para o programa dedicado a Mozart. A compra dos bilhetes pode ser feita na bilheteira do Teatro Nacional São Carlos e nos locais habituais.

Texto de Joana Resende
Foto gentilmente cedida pela OPART

Deixar uma resposta