Nova temporada do D. Maria arranca a 13 de Setembro com Memórias de uma Mulher Fatal

A nova temporada do Teatro Nacional D. Maria II, sob direção artística de João Mota, vai dar particular importância ao teatro como dimensão formativa. Será por isso realçada a presença de vários autores portugueses e também de novos autores, sobretudo na Sala Estúdio. Iniciar-se-à a época no dia 13 de Setembro às 21h15, com Memórias de uma Mulher Fatal, de Augusto Sobral tendo Rogério Vieira na encenação e na interpretação. No dia 10 de Janeiro destaque para M-Show de Marcantonio Del Carlo que participa também como encenador e intérprete, juntamente com Marta Nunes.

Na Sala Garrett sobem ao palco peças de grandes autores clássicos e contemporâneos: Cenas da Vida Conjugal, de Ingmar Bergman que contará no elenco com Adriano Luz, Margarida Marinho e Paula Mora; estreará no dia 20 de Setembro às 21h e prolongar-se-à até dia 28 de Outubro.

No dia 17 de Janeiro sobe ao palco a peça Condomínio da Rua de Nuno Costa Santos que contará com a colaboração do Professor de Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Lisboa, Daniel Sampaio, que assina neste espetáculo a consultoria de análise comportamental. Segue-se em 21 de Fevereiro, Alma, a partir do Auto da Alma de Gil Vicente e produzido pelo Teatro Nacional de São João, fruto das parcerias desenvolvidas pelo Teatro Nacional D. Maria II.

Em 21 de Março estreia uma das comédias mais famosas de William Shakespeare Como Gostais, co-produzida com a Comuna – Teatro de Pesquisa, também na Sala Garrett.

Em parceria com os Artistas Unidos e com encenação de Jorge Silva Melo sobe a cena no dia 16 de Maio O Campeão do Mundo Ocidental de J. M. Synge. Segue-se Timão de Atenas de William Shakespeare que estreia no dia 20 de Junho com Alberto Quaresma, André Gomes, Celestino Silva, João Farraia, Joaquim Nicolau, José Martins, Luís Vicente entre outros e com co-produção da Companhia de Teatro de Almada.

Nesta temporada não é esquecido o público mais jovem que poderá contar com um espetáculo a partir de textos de Gil Vicente, Gil Vicente na Horta, que irá decorrer na Sala Estúdio de 18 de Outubro a 2 de Dezembro. Este espetáculo terá a particularidade de fazer parte do programa de itinerância nacional para esta temporada. De destacar também para os mais pequenos a peça O Segredo da Arca de Trancoso de Luiz Felipe Botelho, também na Sala Estúdio e em cena de 14 de Fevereiro a 10 de Março. De seguida, em 27 de Março estreia Olhos de Gigante desenvolvida a partir de poemas de Almada Negreiros e co-produzida pelo Teatro O Bando.

E porque o Teatro está inevitavelmente ligado à literatura, esta temporada será marcada pela divulgação da poesia e contos de língua portuguesa através do Projeto TEIA, a acontecer mensalmente no Salão Nobre do Teatro Nacional D. Maria II, às 19h. No âmbito deste projeto continuaremos a contar com as visitas guiadas, a formação (oficinas e cursos), a Dramaturgia Viva, a leitura de contos para a infância, as conversas com artistas, conferências, colóquios e exposições.

Esta temporada dá continuidade à colaboração já existente com a Escola Superior de Teatro e Cinema mas também com a Licenciatura em Cenografia da Faculdade de Arquitetura da UTL, com o Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com o Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, entre outros. Com este último e desde 2009, o Teatro Nacional D. Maria II tem vindo a desenvolver um estudo dos públicos deste Teatro.

Em semelhança a anos anteriores, o FIMFA Lx 13, Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, marcará presença na Sala Estúdio no início do mês de Junho 13 assim como o Festival de Almada que promove este ano a sua 30.ª edição na Sala Garrett entre 9 e 14 de Julho 13.

De realçar este ano a excelente iniciativa em parceria com a Federação Nacional das Associações de Surdos com a qual serão desenvolvidas sessões regulares com interpretação em língua gestual portuguesa.

Por último mas em grande destaque nesta temporada, o projeto de grande envergadura desenvolvido em parceria com a Funarte, a Fundação Nacional das Artes do Ministério da Cultura do Brasil, no âmbito do Ano do Brasil em Portugal. Estreia assim a 1 de Novembro na Sala Garrett e a 6 de Dezembro na Sala Estúdio, a Mostra de Teatro do Brasil; será apresentado ao público português um painel resumido da cena teatral brasileira contemporânea.

Os horários mantêm-se, de quarta-feira a sábado as peças da Sala Garrett começam às 21h00 e as da Sala Estúdio às 21h15; ao domingo às 16h00 na Sala Garrett e às 16h15 na Sala Estúdio.

Texto de Joana Resende
Foto de Arquivo C&H, de Francisco Lourenço

Deixar uma resposta