No Teatro D. Maria II fala-se sobre a recusa do luto

Albano Jerónimo vai actuar a solo no espectáculo Glória ou como Penélope Morreu de Tédio, que vai estar em cena de 6 a 30 de Janeiro no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa. Criado e encenado por Cláudia Chéu, esta peça fala sobre a recusa do luto e a espera, que se apresenta aqui como um bem precioso, “mas também como um prejuízo por ser um vazio entre o passado e o futuro”.

Segundo a organização, a encenadora inspirou-se para este espectáculo na ideia do filósofo José Gil de que “os portugueses não fazem o luto e, por isso, prolongam a espera, com vista em algo que ainda está para vir”.

A história conta-se através da figura de Pathos, inspirada em Telémaco (da Odisseia de Homero), que espera pela mãe e procura a sua própria identidade. O medo é outro dos elementos presentes na trama, herdado por Pathos dos seus pais e de toda uma geração que o antecedeu, que “só se pode vencer através do amor”.

A peça pode ser vista de quarta-feira a sábado às 21h45 e aos domingo às 16h00.

Texto de Cristina Alves

Foto cedida pelo Teatro D. Maria

Deixar uma resposta