Reportagem de Clara Inácio (texto) e Elsa Furtado (fotos)

Em época de Páscoa sugerimos uma visita até à Turquia, nomeadamente à Capadócia, região montanhosa, cheia de belezas naturais e segredos escondidos, dona de uma paisagem diferente onde a natureza foi generosa e deixou um relevo singular para o homem moldar – o Tufo – na Capadócia, no centro da Anatólia.

Começamos a nossa viagem por Kayseri, uma pequena cidade da Anatólia Central, que fica no sopé de um vulcão extinto, uma terra de lava incandescente, misturada com cinzas, que originou o Tufo, uma rocha de origem vulcânica, muito macia, fácil de escavar e trabalhar.

O tufo é permeável e de fácil erosão, a sua preservação até aos dias de hoje deveu-se à sua protecção pelo basalto, originando as chamadas chaminés de fadas, um dos pontos mais conhecidos é o Vale de Dérbent ou o Vale Cor-de-Rosa, como também é conhecido por muitos, assim chamado devido ao óxido de ferro, e onde existe uma floresta de chaminés de fadas.

A origem destas curiosas formações deve-se ao gelo e à neve, pois o frio fez estalar o basalto, permitindo a passagem da água que leva à desagregação do tufo, originando as formas cónicas. Aqui, podem-se observar as chaminés das fadas em todas as suas fases, nascimento, vida e morte, quando a pedra de basalto cai, o tufo desagrega-se e desaparece.

O resto da história desta região está pouco documentada, o que se conta são estórias e lendas que passaram de gerações em gerações, e outra parte resulta da análise científica dos vestígios existentes. São desta região, as coloridas e alegres Pepek, as famosas bonecas típicas da Capadócia.

Seguimos para o triângulo da pequena Capadócia – Avanos, Nevehir e Ürgüp,  onde se pode observar o património troglodita: grutas, mosteiros, castelos e igrejas.

Um sítio de visita obrigatória é Özkonak, uma cidade subterrânea, escavada no tufo, como forma de defesa passiva contra os invasores. Neste subterrâneo refugiavam-se pessoas e animais, ainda é possível ver manjedouras, poços, adega e vestígios da utilização de fogo e orifícios de ventilação.

 

capadocia (19)

Durante a escavação dos túneis, fizeram uma espécie de “mó”, que em caso de penetração da cidade, servia para obstruir os túneis e ao invasor parecia um túnel sem saída – pois esta “mó” era feita no tufo, por cima existiam ainda orifícios que permitiam a passagem de uma lança para matar os inimigos.

Depois da visita a esta cidade antiga e cheia de lendas, seguimos em direção a Avanos, onde sugerimos uma pausa no restaurante Hanedon, uma réplica das albergarias da antiga rota da seda e prove as iguarias locais.

Outro ponto de paragem é a Aldeia de Uçhisar, onde podemos observar um castelo natural, escavado na rocha – no tufo, agora em altura. Em seguida é de conhecer o Museu ao Ar Livre de Göreme ou o Conjunto Monástico de Göreme, que é constituído por celas escavadas pelos monges durante a Idade Média, agora sem fachadas que caíram devido à erosão, um dos maiores complexos cristãos existentes nesta parte do mundo.

Este sítio está classificado como património mundial da Unesco desde 1985. Nos anos 60 começaram os trabalhos de conservação e recuperação do complexo, podendo-se observar a Igreja de Santa Barbara, a Igreja com Cobra, o refeitório, a cozinha, a Igreja das Sandálias.

Nas diversas igrejas podemos observar pinturas a ocre, feitas pelos próprios monges e algumas representações de Jesus e de Santos, pintadas por profissionais. Aquando das invasões pelos muçulmanos os olhos das imagens foram tapados, danificados ou ocultados, uma sugestão de visita ideal para este período do ano, em que se celebra a morte e a ressurreição de Cristo.

Informações úteis:

A língua oficial é o turco e a moeda é a lira turca.

A diferença horária face a Lisboa é de mais duas horas.

Para viajar até esta região da Turquia a partir de Lisboa aconselhamos o voo da Turkish Airlines até Istambul e depois aí mudança para voo interno até Capadócia.

Sugerimos também a consulta dos vários programas para a região do operador Pacha Tours, que é especialista no destino Turquia e estão à venda nas diversas agências de viagem de Portugal.

O C&H viajou a convite da Pacha Tours

Deixar uma resposta