Música Antiga invade Loulé durante um mês

Por Cristina Alves

A cidade de Loulé volta a ser palco de um dos mais conceituados eventos de música antiga do país: o XI EMA – Encontro de Música Antiga de Loulé, que arrancou hoje (dia 25 de Setembro), para um mês de festival, que decorre até 25 de Outubro, em palcos pouco habituais, como igrejas e outros espaços culturais do Concelho.

xi_ema_louleNo primeiro dia do Encontro, o Centro Autárquico de Quarteira recebeu o espectáculo A Imagem da Melancolia, um consort de flautas dirigido por Pedro Sousa Silva, que teve início às 21h30. O grupo apresentou o programa “Pentagrama”, constituído por temas do Renascimento e da primeira metade do século XVII, para voz e flautas.

Amanhã é  a vez da Igreja de São Francisco, em Loulé, receber um concerto de La Reverdie, um grupo de referência internacional, constituído por voz, alaúde, flauta, viela, corneto e harpa, que apresentará um repertório de peças dedicado ao compositor quatrocentista Guillaume Dufay.

No primeiro dia do mês de Outubro, Miguel Serdoura vai actuar na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Quarteira, para um concerto de alaúde barroco, enquanto no dia 3, integrando o programa “Danças, Fantasias, Sonatas a três e uma Fuga”, o Ensemble de Flautas de Loulé dirigido por Francisco Rosado irá tocar na Igreja Matriz de Salir.

No domingo, dia 4 de Outubro, o destaque irá para o Ensemble Norte do Sul, que numa homenagem a Handel irá apresentar composições deste autor, no edifício Duarte Pacheco, em Loulé.

Nos dias 9 e 10, será  a vez de Sofia Diniz e Flávia Castro (viola de gamaba e cravo) e de Pamela Thorby, Elizabeth Kenny e Susanne Heinrich (flauta, tiorba, guitarra e viola de gamaba) actuarem no Centro Cultural de S. Lourenço de Almancil e na Igreja Matriz de Alte, respectivamente.

Na sexta-feira e sábado seguintes, dias 16 e 17, o destaque do Encontro de Música Antiga de Loulé  vai respectivamente para Le Concert Brisé (corneto, teorba, cravo e órgão positivo), dirigido por William Dongois na Igreja Matriz de Querença e para Il Dolcimelo (vozes, flauta, alaúde, viola de mão, sacabuxa), espectáculo dirigido por Isabel Monteiro, na Igreja Matriz de Boliqueime.

Finalmente, no último dia do festival, a 25 de Outubro, o Concerto Campestre & Quarteto Arabesco irá ter lugar na Igreja Matriz de Loulé, sendo dirigido por Pedro Castro e integrado no programa “L’Angelica Serenata per Musica”.

Os concertos são de entrada gratuita e têm início às 21h30.

Para além dos espectáculos de música antiga, esta IX edição conta ainda com alguns eventos pedagógicos, como a realização no dia 3 de Outubro da palestra sobre “Cornetas, charamelas, dulcianas, sacabuxas – Instrumentos de Música Alta entre os Séculos XV e XVII”, por João Mateus, no edifício Duarte Pacheco em Loulé, às 18h30.

No dia 10, terá ainda lugar uma Masterclass de flauta solo, com Pamela Thorby, também no edifício Duarte Pacheco em Loulé, desta feita das 10h00 às 13h00.

A encerrar as iniciativas pedagógicasdo EMA, o mesmo local recebe no dia 17 de Outubro, uma masterclass sobre “ornamentação renascentista”, leccionada por William Dongois das 10 às 13 horas e das 15 às 18 horas.

Deixar uma resposta