Museu De Arte Popular Recebe Projeto Das Aldeias Do Xisto

A partir de amanhã e até dia 30 de dezembro, o Museu de Arte Popular (MAP) em Belém recebe a mostra Agricultura Lusitana. 2015-18. Craft+Design+Identidade, um projeto das Aldeias do Xisto, inserido no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural.

A mostra integra peças de artesanato combinadas com design contemporâneo, objetos novos que evocam práticas antigas, realizadas por cerca de 150 pessoas, entre as quais artesãos de todo o país e alunos e professores de nove escolas superiores de design e que combinaram matérias ou técnicas tradicionais, na sua transformação.

Artistas Presentes na Exposição:

ATELIERS DE CRAFT: Casa Da Olaria – Ana Lousada / Carlos Neto; António Fernandes; Capuchinhas – Ester Duarte / Henriqueta Félix; Casa Luzarte – António José Faria da Cunha; Casa das Tecedeiras – Manuela Latado / Sónia Cortes; Cristina Fonseca; Projecto A2 – Alberto Azevedo / Cristina Vilarinho; Idálio Dias; Machado Handmade – José Machado; Atelier da Cerdeira – Kerstin Thomas; Miguel Neto / Mafalda Fidalgo; Invidro – Mónica Faverio / Sérgio Lopes; Officina Objectos Improváveis – Nuno Alves; Patrícia Gorriz; Paulo Tuna; Robin Bovey; Feltrosofia – Steffi Köhne; Teresa Dantas; Vanda Vilela; Dedal no Dedo – Vânia Kosta; Vasco Baltazar / Zita Rosa; Barraca dos Oleiros – Xana Monteiro / Carlos Lima. 

9 ESCOLAS + 9 ALDEIAS: ESAD Caldas da Rainha + Ferraria de São João; UBI + Aldeia das Dez; IADE-U + Figueira; UA + Fajão; UE + Álvaro; IPCB + Janeiro de Cima; IPG, Martim Branco; ARCA EUAC + Benfeita; ESAD Matosinhos + Cerdeira.

A exposição pretende “transportar o visitante para o território das Aldeias do Xisto, apontando caminhos para o desenvolvimento rural a partir das relações Craft+Design+identidade”, explicam os responsáveis na sua apresentação.

Agricultura Lusitana 2015-18 encerra uma trilogia iniciada com os projetos Água Musa (2013) e L4Craft (2014), cuja temática assenta na relação “Craft+Design+Identidade”, e que tiveram como laboratório as 27 Aldeias do Xisto.

Acompanha a exposição um programa de atividades que inclui visitas-guiadas, workshops, animação e debates, como workshops de iniciação de técnicas artesanais tradicionais nas áreas de Tecelagem Manual e Tapeçaria, Tinturaria, Fiação, Olaria e Cestaria, orientados por artesãs/formadoras especializadas.

O projeto tem concepção e organização da ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto, com orientação criativa do designer João Nunes.

A mostra pode ser vista no MAP, em Belém, de 23 de março a 30 de dezembro de 2018, de quarta-feira a domingo, das 10h00 às 18h00, e aos fins de semana das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, o bilhete está à venda no local e custa 2,50 euros.