Moda Lisboa: 4 dia no masculino foi marcado pela irreverência de Nuno Gama

Reportagem de Sara Santos (fotos)
Texto de Margarida Vieira Louro

O quarto dia da última edição da ModaLisboa foi em grande, tendo ficado marcado pelos desfiles de Ricardo Dourado, Miguel Vieira, Dino Alves e Nuno Gama, cabendo a este a honra de encerrar esta 36ª edição “Apaixonada”, de regresso ao Pátio da Galé, agora com cara nova.

“Girl Like a Boy Like a Girl” foi o tema escolhido para a aposta de Ricardo Dourado que apresentou uma colecção sem estereótipos que explora os limites da fronteira masculino/feminino inspirados na androginia. É uma colecção que se define pelas palavras-chave Dark, Ghost, Nomadic, Slim, Austere, Rude Boy e Gigger. Quanto às cores, predominam os tons essencialmente escuros, onde se destaca o preto, verde e azul escuro e por vezes, em contraste, o rosa.

Miguel Vieira brindou-nos com uma colecção perfeita para uma festa sumptuosa, numa mansão aristocrática, com a modernidade e a vertente clássica adequada. Vestidos chiques e fatos elegantes. Destaque para uma mulher sensual mas que nunca perde o seu requinte natural.

A colecção masculina estava completamente dominada por uma fusão entre a ousadia no vestir, os acessórios de luxo e uma perfeita atitude de cavalheirismo. Os tons escolhidos foram, o bege baunilha, o rosa vinho, a lavanda, o amarelo ovo, o azul aqua-marine e castanho tabaco.

Nuno Gama encerrou os desfiles da ModaLisboa com um novo conceito de moda masculina: Testocracia. Os TestosCratas, que pretendem ser os novos ditadores cosmopolitas e usam o elitismo anatómico como pedra basilar da sua sociedade. Para surpresa de todos Nuno Gama fez desfilar alguns modelos como se tivessem acabado de sair do ginásio e que resolveram trocar de roupa ali mesmo no meio de toda a gente, levando a assistência ao delírio.

Nuno Gama apresentou assim, uma colecção masculina, urbana jovem e que espelha o ideal do homem moderno, confiante e capaz de enfrentar os desafios da vida, Inspirado no míticos Centauros, e dando-lhes uma nova roupagem os Centauros Urbanos. Trata-se de uma fusão entre o clássico, o desportivo e confortável, apontamentos de Regimental e Equestre e ainda detalhes Leather.

As silhuetas variam do Slim ao oversized passando pelos blazers, e os fatos gravata voltam surgir como um “work in progress”. Os materiais utilizados são parte do segredo do sucesso deste novo conceito já que contou com matérias com contrastes subtis de baço e brilhante, o cetim e a pele sob misturas de algodões e de lãs nobres.

Quanto às cores, de destacar o amêndoa, o pedra e o azul celestial em perfeita harmonia com castanhos, cinzas e verdes mescla. Incendiados por vezes, por um varonil sangue de boi, ou revigorado pelo enérgico brilho metálico do dourado.

 

Deixar uma resposta