MITO: “Viver É Raso”

Por Sara Santos

Viver é Raso foi o nome da peça que a Companhia de Actores, de Portugal, apresentou nos dias 11 e 12 de Setembro, no Auditório Municipal Ruy de Carvalho em Carnaxide, no âmbito do MITO.

IMG_7806A peça tem por base um texto de Amauri Tangará, que também encena. As interpretações estiveram a cabo de Anaísa Raquel, Cláudia Semedo, Diogo Mesquita, João Ascenso, Sandra Roque, Tiago Fernandes e Valéria Carvalho.

O lugar é aqui, o dia é hoje, a hora é agora….Todo tempo que tenho para viver é o presente…Invento percursos, histórias, enrêdos, mas meu trajeto é um círculo… Crio personagens, invento destinos, fabrico máscaras, mas eu sigo sendo eu, se calhar, contra minha própria vontade!… Em minha vida se vão acumulando objetos, caras, idiomas, máscaras, nomes, côres, buracos, dogmas, silêncios, discursos, medos e uma infinidade de outras inutilidades das quais, confesso resignado, dependo visceralmente!… Chego mesmo a crer que não conseguiria viver um segundo sequer sem elas!…. Fui, durante todo o trajeto da minha vida, catequizado, domesticado, viciado no uso e desuso das mais perfeitas, imprescindíveis e contundentes inutilidades…. Uma única certeza me conforta: Não estou só!…

Veja a seguir mais fotos da peça.

Deixar uma resposta