Ministério da Cultura vai apoiar a promoção internacional da Arte Contemporânea Portuguesa

O Palácio da Ajuda foi ontem de manhã, 12 de Janeiro, palco da assinatura de mais um protocolo celebrado pela Ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, no âmbito da sua política de apoio às artes, desta vez com a Associação Portuguesa das Galerias de Arte (APGA), com o intuito de promover a arte contemporânea portuguesa no exterior, numa cerimónia que contou com a presença do director da ARCO – Madrid, uma das feiras mais importantes do meio.

Apostando na internacionalização da arte contemporânea portuguesa, este protocolo tem a duração de três anos, com uma dotação orçamental anual de 200 mil euros, que visa a promoção dos artistas nacionais para a integração das suas obras em colecções públicas e privadas internacionais, fomentando mais activamente a sua presença em feiras internacionais, como por exemplo a ARCO – Madrid, ARTISSIMA – Turim; ARTFORUM – Berlim; ARMORY – Nova Iorque, ART BRUSSELS – Bruxelas, FRIEZE – Londres, FIAC – Paris, ART BASEL – Basileia; ART BASEL MIAMI BEACH – Miami; ARTE BA – Buenos Aires; São Paulo – ARTE e Zona Maco – Cidade do México.

“As galerias de arte são como um cartão – de – visita dos artistas portugueses. O protocolo privilegia o apoio a artistas emergentes. Prevê a realização de uma exposição anual organizada pela APGA dos artistas em maior destaque no ano anterior”, explicou a ministra da Cultura – Gabriela Canavilhas a propósito do protocolo agora assinado.

Já o presidente da APGA – João Esteves Oliveira salientou “a importância da assinatura deste protocolo, que era uma ambição antiga, só possível agora devido ao interesse do Ministério da Cultura e à actual ministra pela efectivação dos fundos necessários”.

Ao abrigo deste compromisso, a primeira presença vai ser na ARCO Madrid que está a celebrar a sua 30ª edição, que vai de 16 de Fevereiro a 20 de Fevereiro, onde vão estar expostas obras provenientes de mais de trinta países com trabalhos de pintura, escultura, instalações, fotografia, vídeo, new media, desenho e gravura. As entradas custam entre 32 euros e 66 euros (com catálogo).

As doze galerias nacionais que vão estar presentes na feira são a Carlos Carvalho, Filomena Soares, Galeria111, Lisboa 20/ Miguel Nabinho; Pedro Cera; Quadrado Azul, Cristina Guerra; Fonseca Macedo; Pedro Oliveira; Presença; Nuno Centeno / Reflexus e Vera Cortés.

Uma presença que Carlos Urroz, director da ARCO, salientou ser muito importante, uma vez que as feiras são o centro privilegiado de lançamento de um artista e de se apreciar a reacção do mercado.

Por Clara Inácio (texto e foto)

Deixar uma resposta