Memórias de Salman Rushdie na Dom Quixote

Joseph Anton – Uma Memória é o novo livro de Salman Rushdie editado pela Dom Quixote, onde o autor recorda as pressões e ameaças de morte de que foi alvo pouco depois de ter publicado Os Versículos Satânicos.

No dia 14 de Fevereiro de 1989, Dia dos Namorados, Salman recebeu um telefonema de uma jornalista da BBC a dizer-lhe que fora “condenado à morte” pelo aiatola Khomeni. Era a primeira vez que o escritor ouvia a palavra Fatwa. O seu crime? Ter escrito um romance intitulado Os Versículos Satânicos, que era acusado de ser “contra o Islão, o Profeta e o Alcorão”.

Assim começa a extraordinária história de um escritor obrigado a passar à clandestinidade, mudando de casa para casa, com a presença constante de uma equipa de protecção policial armada. Pediram-lhe que escolhesse um pseudónimo pelo qual a polícia pudesse tratá-lo. Ele pensou nos escritores de que mais gostava e em combinações dos seus nomes: ocorreram-lhe então Conrad e Tchékhov – Joseph Anton.

Como vivem um escritor e a sua família com a ameaça de assassínio durante mais de nove anos? Como continua ele a trabalhar? Como se apaixona e desapaixona? Como é que o desespero molda os seus pensamentos e acções, como e porquê tropeça, como aprende a ripostar?

Nestas notáveis memórias, Salman Rushdie narra pela primeira vez essa história: a história de uma das batalhas cruciais do nosso tempo pela liberdade de expressão. Fala das realidades, umas vezes sinistras, outras cómicas, da coabitação com polícias armados e dos estreitos laços que se forjaram com os seus protectores; da sua luta para obter o apoio e a compreensão de governos, chefes de serviços de informações, editores, jornalistas e colegas escritores; e de como recuperou a liberdade.

Joseph Anton – Uma Memória, de Salman Rushdie, Dom Quixote, com 736 páginas, à venda por 24,90 euros.

Deixar uma resposta