Malaposta chama a atenção para a solidão na 3ª idade em “Vento Bravo do Noroeste”


O Centro Cultural Malaposta estreia hoje, às 22h00, uma peça de teatro que tem por objectivo consciencializar para a solidão na 3ª idade, Ventro Bravo do Noroeste.

Da autoria de Hugo Sovelas, Sónia Neves (também responsáveis pela interpretação) e Maria João Miguel (que acumula com a função de encenadora), Ventro Bravo do Noroeste conta a história de dois octogenários: do Sr. Manuel Picamilho e da D. Graciete Jardim, por altura do 80º aniversário desta, do qual apenas o seu vizinho se lembrou.

Manel e Graciete, os últimos habitantes de uma rua que em tempos foi movimentada e alegre, relembram os tempos passados. Tempos onde trocaram pão com marmelada com sabor a juras de amor eterno – que nunca chegaram a ser feitas… pois, esse mesmo tempo, levou Manuel para a guerra em Moçambique, e fez também com que Graciete se cruzasse com Joaquim e por ele se apaixonasse.

Neste dia de festa, riem, brincam, entristecem e recordam velhas histórias que os reaproximam.

Agora, há que aproveitar todos os minutos até que o sopro do Vento Bravo de Noroeste leve um dos dois.

Com produção da associação artística “Propositário Azul”, a peça, dirigida a maiores de 12 anos, vai estar em cena até 21 de Fevereiro, às quarta-feiras às 15h00, quintas-feiras às 11h00 (para escolas, sujeito a marcação), sextas e sábados às 22hoo e domingos às 16h30.

Os bilhetes variam entre os cinco e os oito euros.

Texto: Cristina Alves
Fotos: Sara Santos

Deixar uma resposta