Mais de duas centenas de moinhos de todo o país abertos a visitas este fim-de-semana

MoinhoMais de duas centenas de moinhos de todo o país vão estar abertos este fim-de-semana em mais uma edição do Dia dos Moinhos, promovida pela Rede Portuguesa de Moinhos (RPM).

Este ano participam na iniciativa nacional Moinhos Abertos 222 moinhos em 95 núcleos moageiros de 14 distritos em 45 municípios de todo o país. Esta iniciativa insere-se nas comemorações do Dia Nacional dos Moinhos, celebrado a 7 de abril, e promove a realização de atividades que dão a conhecer estes “museus vivos”.

O coordenador do projeto Moinhos Abertos, Jorge Miranda, disse à agência Lusa que as atividades que se irão realizar são muito variadas, desde visitas guiadas, animações, demonstração/observação dos moinhos em funcionamento, palestras, conversas com moleiros, até à organização de jogos interativos para crianças, entre outras ações de sensibilização.

A mesma fonte salientou ainda que esta iniciativa não pretende “só mostrar os moinhos mas também identificá-los e trabalhá-los do ponto de vista da criação de oportunidades de negócios”.

Um dos municípios que comemora o dia é Palmela, cuja câmara anunciou a participação na iniciativa com uma atividade para toda a família no dia 7 de abril, no Centro «Moinhos Vivos», na Serra do Louro, Palmela, em pleno Parque Natural da Arrábida – candidata a Património Mundial.

No domingo, os participantes serão convidados a visitar o Moinho Aberto e a experimentar uma burricada na serra, desfrutando de toda a beleza da paisagem circundante. A atividade decorrerá no período 10h00/ 12h30, numa organização da Câmara Municipal de Palmela e do Centro Moinhos Vivos.

O Dia dos Moinhos Abertos é uma iniciativa de âmbito nacional e ampla divulgação, com o apoio da Secção Portuguesa da Sociedade Internacional de Molinologia, que teve início em 2007 e que pretende chamar a atenção dos portugueses para o inestimável valor patrimonial dos nossos moinhos tradicionais, por forma a motivar e coordenar vontades e esforços dos proprietários dos moinhos, organizações associativas, autarquias locais, museus, investigadores, moleiros, molinólogos, entusiastas e amigos dos moinhos. Este dia serve também para identificar problemas e oportunidades, germinar projetos e ideias, ou mesmo para levar a cabo pequenas beneficiações (limpezas, pinturas, consertos de coberturas, etc.) com a participação de ativistas e visitantes que o pretendam, preservando os moinhos e criando dinâmicas de desenvolvimento em torno deles.

Nos dias 6 e 7 de abril, um pouco por todo o país, estarão assim a funcionar e abertos ao público para visita gratuita largas dezenas de moinhos em funcionamento, de todos os tipos, tendo cada moinho um programa de atividades próprio.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta