Lisboa rende-se a Judy Garland de La Féria

O Teatro Politeama aplaudiu de pé o mais recente musical de Filipe La Féria Judy Garland – O Fim do Arco-Íris. Ao lado de Hugo Rendas e Carlos Quintas, Vanessa revelou-se a estrela da noite no papel de Judy Garland. A atriz transportou o público para montanha russa de emoções criada pelo autor, Peter Quilter, e o público premiou-a com “Bravos!” e fortes aplausos.

Tal como Filipe La Féria previa momentos antes do espetáculo, Judy Garland – O Fim do Arco-Íris foi uma noite de glória para Vanessa, a jovem protagonista do musical. “A Vanessa estreou-se comigo num programa de televisão Sábado à noite, há cerca de 10 ou 12 anos e já aí revelou um enorme talento. Agora, era uma das intérpretes de O Melhor de La Féria (em cena no Casino Estoril) e eu tirei-a de lá porque achava que este papel lhe assentava como uma luva”, revelou o encenador ao C&H.

Judy Garland – O Fim do Arco-Íris é um texto do britânico Peter Quilter que chega agora a Lisboa após ter vencido os prémios mais importantes da temporada londrina. “Não é uma peça biográfica, é um espectáculo muito forte em que o público vai viver todas as emoções como numa autêntica montanha-russa”, explica Filipe La Féria.O público que assistiu à antestreia no dia 24, quarta-feira, no Teatro Politeama, parece ter partilhado a mesma opinião, ao aplaudir de pé o elenco constituído por Carlos Quintas, Hugo Rendas e Vanessa e ao reservar uma forte ovação para a jovem protagonista.

A história deste musical passa-se em Londres, em 1968, e relata os últimos meses de vida da menina-prodígio de Hollywood, que saltou para o estrelato em criança com o filme “O Feiticeiro de Oz”. “Judy” (Vanessa) e o noivo “Mickey Deans” (Hugo Rendas) preparam o regresso aos palcos com a ajuda do pianista e amigo da estrela “Anthony Chapman” (Carlos Quintas).

Agora com 46 anos de idade, “a maior estrela de todas as estrelas” já viveu quatro casamentos falhados e luta contra a dependência de drogas e álcool. Ao mesmo tempo dramático e divertido, o texto de Peter Quilter mostra Judy Garland como “uma mulher dura, com uma forte personalidade, uma genial cantora que decidiu voar para além do seu arco-íris”.

Sem conseguir vencer as dependências, a mãe de Liza Minnelli casa-se pela quinta vez em 1969, com Mickey Deans, tendo vindo a falecer três meses após o casamento com uma overdose de comprimidos.

Judy Garland – O Fim do Arco-Íris está em cena no Teatro Politeama de quinta-feira a sábado, pelas 21h30, e aos sábados e domingos, às 17h00. O preço dos bilhetes varia entre os 15 e os 30 euros.

Reportagem de C&H
Fotos de Sara Santos

Deixar uma resposta