Lina Eichenwald expõe no Museu da Água

O Museu da Água da EPAL recebe até ao próximo dia 14 de julho a obra fotográfica de Lina Eichenwald, apresentando um conjunto de fotografias que intitulou como efémera e (im)permanente. Esta é segunda vez que a artista  expõe em Lisboa.

Segundo Pedro Inácio, Coordenador do Museu da Água da EPAL, a obra de Lina Eichenwald persegue a “descoberta sustentável da forma corporal… e os seus registos fotográficos poderão ser entendidos como pontos de encontro entre a imagem real e virtual e, simultaneamente, como reflexo de uma pesquisa atenta da nudez, na qual a forma humana e a vegetal se diviniza envolvendo momentos de erotismo e de sensualidade”.

Lina Eichenwald nasceu no Egipto, no Cairo, em 1957 mas cresceu em Buenos Aires, Argentina. Entre 1973 e 1991 viveu em São Paulo no Brasil, mas atualmente reside em Miami nos Estados Unidos da América. Estudou na Escola Panamericana de Arte, Desenho e Ilustração, de São Paulo, na Fundação Armando Alvares Penteado, Escola de Comunicação Visual, S Paulo, Estúdio Pof. Silvio Dworecki Artistic Expression, S. Paulo, e tem participado em inúmeras exposições coletivas ou individuais um pouco por todo o mundo. Em Lisboa, a artista expôs, em 2006, na Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, uma performance designada agarrando emoções

A exposição efémera e (im)permanente está patente no Museu da Água até dia 14 de Julho.

Texto de Clara Inácio

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.