Lee Fields e Escorts aquecem o EDP Cool Jazz

 

Reportagem de Miguel Quesada (fotos) e Alexandra Gil (texto)

 

Miguel Quesada PhotoO soul de Lee Fields e da sua banda, The Expressions, e o disco dos Escorts fizeram a festa no domingo, em mais uma noite do EDP Cool Jazz.

O cantor da Carolina do Sul, um dos sobreviventes do final dos anos 60 que ainda se dedica ao soul, animou a assistência com o seu charme muito característico e, sobretudo, com uma voz em grande forma, que se destacou em “Could have been”, tema que interpretou apenas acompanhado à guitarra.

Pelo palco dos jardins Marquês de Pombal em Oeiras fizeram-se ainda ouvir temas de Faithful Man, o seu último álbum, tais como “I’m Still Hanging On”, “Wish You Where Here” ou “You’re The Kind of Girl”. “Money I$ King”, “Ladies” e “Honey Dove” juntaram-se ao alinhamento, vindos de trabalhos anteriores. Os The Expressions cumpriram e bem a missão, provando que por detrás de um grande cantor está sempre uma grande banda.

Com o público embalado pela soul sulista, subiram ao palco os Escort com o seu disco-funk. Dançar foi mesmo a palavra de ordem durante a atuação da banda elementos vinda de Brooklin e liderada pela ultra-poderosa Adelina Michéle.

“Get on Up” e “Love in Indigo” marcaram a transição de ritmo, sendo seguidos por “Barbariens”, o último single da banda. A festa continuou, mesmo num recinto meio cheio, com “Cocaine Blues”.

Carismática e muito sedutora, Adeline intercalou os temas com um animado diálogo com o público, que não se cansava de dar ao pé. “Dancer” encerrou a atuação, já passava da meia-noite, mas o encore não se fez esperar. “Cameleon Cameleon” e “All Thought the Night” foram a dupla da despedida de uma noite em que os sons da alma e das pistas de dança contagiaram uma audiência escassa, mas animada, nos Jardins Marquês de Pombal.

 

 

Deixar uma resposta