KINO – Cinema alemão em Lisboa de 24 de Janeiro a 3 de Fevereiro

kino_cartazA KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã – regressa à capital para apresentar uma seleção de produções que passaram pelos mais importantes festivais da Alemanha. De 24 de Janeiro a 3 de fevereiro, explora-se o cinema germânico, havendo além do programa principal no Cinema São Jorge, a “Mostra para Escolas” no mesmo local, o ciclo “Cinema Júnior” no Goethe-Institut, e o ciclo O Novo Cinema Alemão: Para Além de Oberhausen no Espaço Nimas, no âmbito do 50° aniversário do Goethe-Institut.

O programa arranca dia 24 às 21h30 no Cinema São Jorge, com a proposta alemã para Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e vencedor do Urso de Prata da Berlinale de 2012, Barbara, de Christoph Petzold. O drama toma lugar na antiga RDA dos anos 80, onde uma jovem médica tenta obter um visto de saída e, como punição, é enviada para um hospital no interior do país.

No dia 25 às 21h00, haverá uma festa de aniversário no Goethe-Institut com baile de máscaras. A noite será animada pelo DJ Calapez, e o apelo é a que se mascarem da vossa personagem de cinema favorita, sendo o melhor disfarce premiado com uma noite no Hotel Plaza.

Entre os documentários do certame estão um retrato cinematográfico do pintor Gerhard Richter; Das Knistern der Zeit, sobre o projeto de construção de uma aldeia dedicada à Ópera em Burkina Faso, idealizada pelo artista Christoph Schlingensief; o poético Unter Schnee de Ulrike Ottinger; e Grenzfalle (Crossing Borders) que acompanha o escritor Robert Menasse a percorrer algumas fronteiras dos países vizinhos da Áustria, reflectindo sobre o sentido das fronteiras na Europa.

Entre as ficções, estão Kriegerin sobre uma jovem pertencente a um grupo de extrema-direita; a adaptação de Die Wand, onde Martina Gedeck interpreta a protagonista do romance de Marlen Haushofer, importante referência na literatura feminista; e o drama Der Verdingbub premiado pelo Goethe-Institut no Festival Infanto-Juvenil “Schlingel”, que narra o destino que mais de 100.000 órfãos sofreram na Suíça até aos anos 50 ao serem tratadas como autênticos escravos.

No âmbito do 10º aniversário da KINO, ao longo de três dias e três noites será apresentado o melhor desta década na “KINO Marathon”, revisitando-se alguns dos mais importantes filmes do cinema alemão.

Coincidindo com as comemorações do 50º aniversário do Goethe-Institut Portugal, organiza-se também o ciclo “Para além de Oberhausen” no Espaço Nimas, que pretende recriar o ambiente cinematográfico que se vivia na Alemanha há 50 anos. O ciclo inicia-se com Parallelstrasse de Ferdinand Kittl, um dos assinantes do Manifesto de Oberhausen, e prossegue com curtas metragens de outros assinantes, como Alexander Kluge, Peter Schamoni, Haro Senf e Edgar Reitz; conta ainda com obras como Die Rote de Helmut Käutner ou Endlose Nacht de Will Tremper, e filmes dos realizadores que mais contribuíram para o sucesso internacional do Cinema Alemão, entre eles Wim Wenders, Werner Schroeter e Rainer Werner Fassbinder.

A secção “Cinema Júnior” será inteiramente dedicada ao bicentenário dos contos dos irmãos Grimm, e volta igualmente a estar presente a “Mostra para Escolas”, sendo ambas de entrada livre mediante marcação.

Os convidados deste ano são Joachim Schönfeld, proveniente do teatro e televisão e que viu a sua estreia como realizador (Gegen Morgen) ser exibida na Berlinale 2012, o realizador Kurt Langbein que apresentará o seu documentário Grenzfalle, e Lars Eidinger, protagonista de Was Bleibt e participante também de Hell e Tabu.

A entrada para as secções “Cinema Junior” e “Mostra para Escolas” é gratuita, e para a “Marathon” é 1,50 euros. Os restantes bilhetes custam 4 euros ou 3,50 euros com desconto.

A KINO é um evento organizado pelo Goethe-Institut e Cinema São Jorge em colaboração com as Embaixadas da Suíça, Áustria e Luxemburgo, contando com a parceria da EGEAC, o apoio do ABC Cineclube e Leopardo Filmes, e o patrocínio da Mercedes, Lufthansa, Merck e Sapo.

A programação completa pode ser consultada na página do Goethe-Institut.

Texto de Sara Peralta

 

Deixar uma resposta