Joaquín Cortés trouxe magia a Lisboa

Depois de ter mostrado os 20 anos de carreira no palco do Rosa Mota, no Porto, o bailarino cigano espanhol arrasou em mais um espectáculo, desta vez no Pavilhão Atlântico.

Aos 41 anos Cortés continua a sapatear como se tivesse 20, mas neste espectáculo, além dos 14 músicos e cantantes ciganos, partilhou o palco com oito bailarinas que surpreenderam o público masculino ao surgiram inesperadamente em palco seminuas.

Calé, nome do espectáculo e que significa cigano, foi dedicado à mãe do bailarino. Durante cerca de dez minutos este dançou para ela, com sentimento e dor.

Depois recuperou o sorriso e a sedução que atira para o público feminino em cada passo de dança.

Depois do Porto, encantou Lisboa, com o seu espectáculo no Pavilhão Atlântico.

Texto por Cristina Alves

Fotos Sara Santos

Deixar uma resposta