IV Edição ICAN em Lisboa discutiu o Romance Antigo – Grego e Latino

A IV edição do ICAN(Congresso Internacional sobre o Romance Antigo) decorreu entre 21 e 26 de Julho, na Fundação Calouste Gulbenkian. No Congresso participaram cerca de 290 conferencistas, oriundos de todo o mundo, sob o mote “Nas Encruzilhadas do Romance Antigo: Espaços, Fronteiras, Intersecções”. A Professora Catedrática Marília Futre Pinheiro presidiu à comissão organizadora.

Entre as temáticas em debate destacaram-se: Arqueologia e o Romance Antigo, Narrativa Cristã e Judaica, As Fronteiras do Género, Textos Fluidos, Do Mito ao Romance, O Pensamento Filosófico no Romance Antigo, Amor e Desejo no Romance Antigo e O Mar e a Viagem no Romance Antigo.Os participantes analisaram diferentes aspectos relacionados com o romance grego e latino da Antiguidade, em particular sobre a sua origem, (porque, diferentemente da opinião geral, o romance não nasceu com o Romantismo -com Vítor Hugo ou Émile Zola), mas no século I antes de Cristo.

Entre os seus textos mais representativos, tais como, Satíricon de Petrónio e O Burro de Ouro de Apuleio, em Latim, e em Grego, Dáfnis e Cloe de Longo ou Leucipe e Clitofonte de Aquiles Tácio.

Foram convidados a apresentar comunicações especialistas de renome, com destaque para o director da Biblioteca de Alexandria, Ismail Serageldin, que abriu o congresso, com uma apresentação da história e dos vários projectos desenvolvidos pela Biblioteca e, na sessão final, o autor de romances históricos Steven Saylor.

O bem sucedido escritor norte-americano, ao falar da sua investigação e escrita, mostrou um conhecimento profundo da história de Roma – e ficou decerto satisfeito por saber que também entre os especialistas sobre o romance antigo tem muitos leitores dedicados.

Entre os oradores portugueses,destaque para a Mestre Madalena Simões, Leitora do Instituto Camões na Universidade de Hamburgo, que apresentou uma parte da sua tese de mestrado, A Demanda do Amor e o Amor da Demanda: leituras de Hero e Leandro de Museu, datada de 2006 e defendida na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em Janeiro de 2007, tendo obtido a nota máxima.

A obra narra os infelizes amores da bela Hero e do jovem Leandro, que morreu afogado no estreito de Helesponto, numa noite, em que nadava ao encontro da sua amada, que do cimo de uma torre lhe alumiava o caminho com uma tocha.

Aqui deixamos o link para o texto de apresentação no congresso: “THE SIXTH GREEK NOVEL: MUSAIOS’ “HERO A N D LEANDER” REF: FG/ 145 -Madalena Simões.

Fora da sala de congressos foi ainda organizado um programa de eventos de carácter social e mesmo turístico, através do qual os congressistas tiveram oportunidade de visitar a Fundação Oriente, de fazer um cruzeiro no Tejo, de visitar o Museu Gulbenkian, bem como de assistir a peças de teatro e a um concerto de jazz no Rossio, que levou à descoberta de Lisboa e algumas das intersecções e confluências que a cidade apresenta.

O Congresso Internacional sobre o Romance Antigo aconteceu em Lisboa, depois de ter tido lugar no Reino Unido em 1976, nos Estados Unidos em 1989 e na Holanda em 2000.

Artigo escrito em colaboração com Madalena Simões, a quem agradecemos a prestigiosa colaboração e a oferta de um exemplar autografado da sua Tese.

Por Madalena Simões e Elsa Furtado

Deixar uma resposta