Hotel Convento de S. Paulo promoveu mais um fim-de-semana cultural ao ritmo do flamenco

O Hotel Convento de Sã0 Paulo, em plena Serra de Ossa no Redondo, já é conhecido pelos seus fins-de-semana culturais, desta vez, o Espaço Arcana, promovido pela Fundação Henrique Leote, foi dedicado à vernissage da exposição de pintura de Bárbara Stammel De Chicas e Lobos e ao espectáculo de dança Pa’ mi se quea, de Maribel Ramos – La Zambra.

Barbara Stammel vive actualmente nos arredores de Bilbao, numa casa de campo, rodeada de verde e de algumas vacas. Presentemente está a pintar meninos e equipas de futebol, em papel de embalar.

As suas obras estão expostas em Madrid, Pamplona, Barcelona (Museu de Arte Contemporânea) e na Arco. Em Fevereiro de 2011 vai ter uma nova exposição na Galeria Angel Romero, em Madrid, e o  seu próximo projecto vai marcar presença na Bienal de Cuba, em Havana.

Sobre o tema da exposição Chicas e Lobos, Bárbara Stammel disse ao C&H que, “A minha pintura é violenta porque nós também somos violentos, uma vez chicas, outra lobos”, acrescentando ainda que, “As pessoas retratadas existem, são reais. Nos papéis são “ fantasmas”. As imagens estão “mascaradas”, a sua humanidade está nos olhos e na sua expressão”.

Nos últimos anos, a artista tem pintado retratos com grandes cabeças, sem retratar ninguém em particular, sendo antes uma projecção de nós próprios.

Entre os pintores que admira e a quem vai “beber” influências destacam-se nomes tão diversos como Rembrandt, Goya, Paula Rego, ou o holandês Franz Hals.

A inauguração foi marcada pela presença do engenheiro Henrique Leote, do coleccionador Anton Pinhel, de Amaya Espinoza (directora cultural da fundação) e de diversas personalidades locais, nacionais e espanholas.

Durante a inauguração, o engenheiro Henrique Leote fez questão de sublinhar que,  “O espaço Arcana é um espaço com qualidade a pensar nos artistas, não é uma galeria de arte, mas um local onde projecta a obra dos artistas escolhidos e onde o próprio artista pode mostrar a sua forma de trabalhar ao público em geral”.

O objectivo é assegurar sessões de residências de artista, ou seja, o artista permanece durante um período no espaço Arcana, onde mostra o trabalho já realizado, mas onde também vai produzir novas peças, oferecendo depois um exemplar do seu trabalho à Fundação, ficando em exposição no hotel, este que é membro da cadeia de hotéis com arte.

Depois da vernisage seguiu-se o segundo momento cultural do fim-de-semana, da responsabilidade da Fundação Cristina Heeren de Arte Flamenco, de Sevilha, parceira da Fundação Henrique Leote,  que patrocina alunos portugueses para estudarem na Fundação Cristina Heere, pagando-lhes as propinas e em troca recebem dois espectáculos de flamenco por ano.

O espectáculo de dança Pá mi se quea foi uma manifestação invulgar de talento e muito trabalho e empenho. Foi um  momento ímpar, com muita “gana”, onde a bailarina se transfigura na interpretação personalizada que faz. Há uma entrega de corpo e alma, uma bênção para os olhos e a alma de quem assiste.

A acompanhar a bailarina Maribel Ramos esteve o guitarrista Tino Van Derman e o vocalista Jeromo Seguro. Entre os três assistiu-se a uma cumplicidade natural, tão característica do flamenco, numa combinação harmoniosa de ritmo, luz, sombra, velocidade e quietude. “Aqui tudo flui, tudo se queda, tudo se siente”.

A próxima edição do Espaço Arcana está prevista para Fevereiro, em data a anunciar.

Reportagem (Texto e Fotos) de Clara Inácio

Deixar uma resposta