Hoje Assinala-Se O Dia Internacional Dos Monumentos E Sítios

Celebra-se hoje o Dia Internacional Dos Monumentos e Sítios, subordinado ao tema Património Cultural e Turismo Sustentável, durante todo o dia e noite são vários os monumentos e sítios de norte a sul do país que vão assinalar a data.

Na Nazaré a proposta é de visitas guiadas ao “Forte de São Miguel Arcanjo: um exemplo de gestão patrimonial e turística”, entre as 14h00 às 17h00.

As visitas prometem através de três abordagens diferenciadas, mas, ao mesmo tempo, interligadas, dar a conhecer o processo de reabilitação do Forte de São Miguel Arcanjo no âmbito da relação entre o património edificado, o património natural e as novas dinâmicas para o turismo cultural no Concelho da Nazaré. Durante a visita guiada serão abordadas três temáticas: “A história do Forte de São Miguel Arcanjo: séc. XVI a XXI”; “O Forte de São Miguel Arcanjo: um olhar sobre o Mar”; “A gestão turística como fator de divulgação e promoção do património histórico: o caso do Forte de São Miguel Arcanjo”.

Em Lisboa, da vasta programação destacamos as visitas guiadas ao novo edifício do Museu Nacional dos Coches, projecto do arquitecto Paulo Mendes da Rocha, às 10h00, 11h00 e 15h00, e que são a última atividade a ter lugar no museu antes de encerrar para a implementação e instalação do projecto museológico, abrindo a tempo das celebrações do Dia Internacional e da Noite dos Museus, em maio.

O MAAT, também em Belém, preparou três visitas guiadas gratuitas para os visitantes do museu, com inscrição obrigatória: Espaços Legíveis – Visita Temática Arquitetura; Visita Percurso Secreto (visita às zonas da Central que estão habitualmente fechadas ao público) e visita à exposição Utopia/Distopia, a primeira ‘exposição-manifesto do novo edifício do MAAT.

Na zona das Amoreiras a proposta é subir ao miradouro Amoreiras 360º Panoramic View, e observar através de lunetas de focagem de longo alcance, mapas informativos e animações multimédia que dão início à experiência logo na subida de elevador. Com entrada gratuita, entre as 10h00 e as 12h30 e das 14h30 às 22h00, com a última entrada 30 minutos antes do horário de fecho.

Na Capital pode ainda descobrir e passear pelo Aqueduto das Águas Livres; conhecer o Palácio de São Bento (Monumento Nacional); o Museu da Água – Galeria subterrânea do Loreto; passear pela Avenida da Liberdade e pelo antigo O Passeio Público, pelos Bairros de Alfama, Mouraria e Bica; assistir no Castelo de S. Jorge ao 4º Torneio de Tiro com Arco Histórico; conhecer o Hotel 1908 – “O Largo do Intendente e o Hotel 1908 – Um exemplo de reabilitação no coração da cidade”; visitar a Estação Ferroviária de Lisboa Rossio; Descobrir a Casa Fernando Pessoa em Campo de Ourique; o Estádio José Alvalade e o Museu Sporting; o Museu Benfica – Cosme Damião; e visitar a Gare Marítima de Alcântara – “Visita comentada aos painéis do pintor Almada Negreiros e projeção de filme sobre o Porto de Lisboa” e o Museu do Oriente.

Ainda na Zona de Belém e Ajuda pode visitar gratuitamente o Palácio e a Biblioteca da Ajuda; o Mosteiro dos Jerónimos – “A Paixão de Cristo” no Mosteiro dos Jerónimos; o Museu de Arte Popular: Um Monumento para o povo da primeira metade do século XX; a Torre de Belém e o Palácio Nacional de Belém – “Presentes de Estado: o que diria a tartaruga e o elefante?”.

Outra sugestão é um passeio até ao “Barreiro”, à descoberta do caminho de ferro como meio de transporte sustentável, e visita às estações fluviais do Terreiro do Paço: a antiga/no exterior da autoria de Cottinelli Telmo e na atual, para início da viagem de barco até ao Barreiro. No Barreiro, visitaremos as várias estações ferro-fluviais e o restante complexo ferroviário. A atividade tem lugar entre as 15h00 e as 18h00, e tem início e fim na Estação do Terreiro do Paço/Antiga Estação do Barreiro, e conta com a participação do IP, da CP e da Câmara Municipal do Barreiro.

Em Sintra o destaque vai para o Palácio Nacional da Pena, que vai estar aberto entre as 20h00 e as 24h00, com entrada gratuita, mediante inscrição prévia no Website da Parques de Sintra-Monte da Lua.

Ainda no âmbito da comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios realiza-se, no dia 22 de abril, a iniciativa “Geocaching com Jogo de Pistas – Património e Desenvolvimento Sustentável nas Linhas de Torres“, em 5 municípios da Rota Histórica das Linhas de Torres. A atividade é realizada ao ar livre e tem como finalidade a descoberta de uma cache escondida, cujo conteúdo visa a sensibilização dos participantes para os temas da Igualdade de Género (Arruda dos Vinhos), da Paz (Loures), dos Direitos Humanos (Mafra), do Direito à Água (Sobral de Monte Agraço) e da Biodiversidade (Vila Franca de Xira). Os “descobridores” deverão seguir as pistas que lhes são fornecidas, com ou sem o auxílio do GPS. A participação é gratuita e de inscrição obrigatória em todos os municípios, até ao dia 19 de abril.
O ponto de encontro tem lugar às 10h00, no Passeio Ribeirinho de Vila Franca de Xira (junto à Fábrica das Palavras), já o último ponto de encontro tem lugar em Mafra, pelas 15h00, no Forte do Zambujal.

A Sul, a nossa sugestão vai para a Igreja de S. Francisco em Évora, que convida a visitar gratuitamente os novos espaços museológicos do monumento, para além da Capela dos Ossos, até às 19h00.

O núcleo Museológico, construído sobre as ruínas das antigas celas dos frades, conta a
história do convento e da vida religiosa eborense ao longo dos séculos. Apresenta uma
coleção de Arte Sacra com peças oriundas de vários conventos extintos da cidade; já as Galerias sobre as capelas laterais mostram a vasta colecção de presépios da família
Canha da Silva, oriundos de todo o mundo.

O programa, em Portugal, é da responsabilidade da Direção-Geral do Património Cultural em colaboração com o ICOMOS Portugal e pode ser consultada aqui.

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS) foi criado pelo Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS) a 18 de abril de 1982, e aprovado pela UNESCO no ano seguinte, com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para a necessidade da sua proteção e valorização. Celebrando o património nacional, comemora também a solidariedade internacional em torno do conhecimento, da salvaguarda e da valorização do património em todo o mundo.

Deixar uma resposta