Grou-do-Japão inspira o romance no Jardim Zoológico

O dia mais romântico do ano é já na próxima segunda-feira e nada como preparar antecipadamente este dia especial para surpreender a nossa cara-metade, proporcionando-lhe momentos irresistíveis. Se tiver possibilidade, aproveite para passear e já agora aproveite para visitar o Jardim Zoológico e conhecer uma das aves com um ritual de sedução e acasalamento mais peculiares, o Grou-do-Japão.

Esta é uma ave famosa pelas suas majestosas danças nupciais, que envolvem saltos graciosos, vénias de asas abertas, lançamento de pequenos raminhos ao ar (material utilizado na construção dos ninhos) e um dueto de vocalizações muito características. Apesar do frio que ainda se faz sentir, o casal que habita no Jardim Zoológico, inspirado pelo romance, retomou o “namorico”.

Neste dia tão especial, o Jardim Zoológico oferece um desconto de 20 por cento no bilhete de entrada a todos os casais adultos que visitem o parque nesse dia (válido apenas para uma das pessoas do casal). E porque amor é sinónimo de doçura, a Hussel, em parceria com o Jardim Zoológico vai dar um miminho a todos os casais que visitarem o Jardim no Dia de São Valentim.

Inspire-se na história de amor do casal de Grous-do-Japão que vieram directamente dos seus países de origem para o Jardim Zoológico, ao abrigo do programa internacional de reprodução e conservação da espécie. A fêmea tem 16 anos e veio do Japão, com pouco mais de 3 anos, para o que se pode chamar um “casamento arranjado”. O macho tem 11 anos e veio de Moscovo para o Jardim Zoológico com apenas 1 ano de idade (onde já o esperava a fêmea).

No ano passado nasceu a Sana, a cria do casal, o que contribuiu para a conservação e manutenção da variabilidade genética, essencial em qualquer programa de protecção de espécies ameaçadas. O Jardim Zoológico já fez saber que “espera que desta vez, com a ajuda do Cupido, o casal consiga trazer um macho para a família”.

Estas são aves monogâmicas que formam casais para toda a vida, por isso são símbolos da união entre o casal e felicidade em muitos países asiáticos.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta