Fundação Gulbenkian apresenta mostra A Natureza – Morta na Europa – Séculos XIX e XX

Vincent van Gogh (1853-1890) Ramos de Castanheiro em Flor, 1890 Óleo sobre tela, 73 x 92 cm Foundation E.G. Bührle Collection, Zurique

Obras de Cézanne, Renoir, Van Gogh, Monet, Manet, Léger, Duchamp, Braque, Magritte, Matisse, Amadeo de Souza Cardoso, Eduardo Viana, Mário Eloy e Vieira da Silva podem ser vistos atualmente na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, numa grande exposição dedicada à natureza-morta na Europa – A Perspectiva das Coisas A Natureza-Morta na Europa – Séculos XIX-XX.

A mostra reúne pela primeira vez em Portugal 93 obras, de 70 artistas, provenientes de 37 museus e instituições de todo o mundo e aborda a evolução da natureza-morta, na essência é a representação de um grupo de objectos – flores, instrumentos, conchas ou caveiras, geralmente colocados sobre uma mesa, e o impacto  da modernidade,  à medida que a experiência subjectiva dos objectos também se alterava e surge em seguimento da exposição apresentada o ano passado, que abrangeu os séculos XVII e XVIII.

O aparecimento da fotografia alterou a posição da pintura e dos pintores perante a realidade. A fotografia capta a realidade, dando-lhe visibilidade e eternidade. Ao libertar a pintura da representação realista, abriu caminho a uma pintura com maior liberdade, tanto do ponto de vista da cor, como das formas, como é visível na pintura de artistas como Vincent van Gogh, Henri Matisse ou Odilon Redon. A pintura adquire um lado mais subjetivo, testemunhando o efeito que o objeto produz no artista.

Claude Monet (1840-1926) Ramo de Girassóis, 1881 Óleo sobre tela, 101 x 81,3 cm Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque. Legado de Mrs. H.O. Havemeyer, 1929

Lado a lado com estas obras estarão outras que, resistindo à euforia dos tempos, mantiveram, deliberadamente, uma linha mais enraizada na tradição, espelhando a diversidade e a riqueza do género aqui celebrado nesta mostra única.

A curadoria é de Neil Cox, Professor da Universidade de Essex, especialista em arte francesa do século XX, com tese de doutoramento sobre Picasso e uma vasta obra publicada.

A Perspectiva das Coisas A Natureza-Morta na Europa. Séculos XIX-XX  está patente  ao público até 8 de janeiro de 2012 na Galeria de Exposições da Sede. O horário de visitas é todos os dias das 10h00 às 18h00 e quintas-feiras e sábados, das 10h00 às 20h00 e encerra às segundas-feiras e feriados.

Texto de Clara Inácio

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=2jZP1hMtNYs

Deixar uma resposta