Festival Teatro Mérida enche teatro romano com homenagem aos clássicos

Até 29 de Agosto, a Extremadura espanhola recebe a 56ª edição do Festival de Teatro de Mérida, um evento teatral centrado na herança greco-latina e que decorre anualmente no Teatro Romano da cidade espanhola.

O certame está dividido em duas temáticas, a primeira dedicada à essência greco-latina, com obras de Eurípedes, Homero, Ésquilo e Aristófanes, e uma segunda dedicada à reinterpretação dos clássicospor autores como Camus, Pérez Galdós e Molière.

O festival inaugurou com o espectáculo de dança e teatro Medea 2, baseado no texto de Eurípedes, sob direção de Dimitris Papaioannou, em que participaram 25 bailarinos do Hellenic Festival Atenas.

A Ilíada, de Homero, adaptada por Alessandro Baricco e dirigida por Tom Bentley-Fisher, numa co-produção do Q-ars-Teatre e do Festival Grec de Barcelona, é outra das peças do programa.

O Centro de Produção do Festival de Mérida, com Paco León à frente de 20 actores, estreia mundialmente Lisístrata, de Aristófanes, enquanto Carme Elías protagoniza Prometeo, de Ésquilo, produzido pelo Centro Dramático Nacional de Espanha, Grec 2010 Festival de Barcelona e Factoría Escénica Internacional.

L’ Om e Imprebis de Calígula, na visão de Albert Camus, é o primeiro dos três olhares diferentes sobre os clássicos, em cena de 11 a 15 de Agosto, seguindo-se Electra, na adaptação de Francisco Nieva da versão de Pérez Galdós a 19 a 22 de Agosto, e El Avaro, de Molière, co-produzido pelo Centro Dramático Nacional de Espanha e Marca Extremadura, de 25 a 29 de Agosto.

O festival inclui ainda várias actividades complementares, nomeadamente concertos e outras representações teatrais, no Teatro Romano de Regina, localizado em Casas de Reina, na província de Badajoz.

O festival começou em 1933, após a reconstrução do Teatro Romano de Mérida (considerado como um dos edifícios no mundo que melhor representam a época do imperador Augusto), é o festival de teatro clássico mais antigo que decorre em Espanha e é considerado como um dos mais importante do género da Península Ibérica.

Texto de Cristina Alves
Foto da organização

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.