“Fado” estreia sexta-feira no Casino do Estoril

Sonho antigo e desejo há muito acalentado,  Fado – História de um Povo é o novo espectáculo de Filipe La Féria, que estreia esta sexta-feira dia 9 de Julho, no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril, numa homenagem do autor ao fado, sua história e artistas.

O espectáculo que vai ter duração de cerca 1h30, conta nos principais papéis com Alexandra, Henrique Feist, Liana, Gonçalo Salgueiro, Inês Santos, entre outros, num musical sobre a História do Fado, aqui contada na visão e perspectiva de Filipe La Féria.

O espectáculo, que segue uma ordem cronológica, das origens aos nossos dias, começa com versos de José Régio, retirados do livro Fado. “O fado nasceu um dia, quando o vento mal bulia e o céu o mar prolongava, na amurada dum veleiro, no peito dum marinheiro…” e defende o nascimento da canção nacional associado ao lundum, às modinhas, e canções brasileiras trazidas de Terras de Vera Cruz pelos marinheiros e pelos escravos.

Sempre ligado ao povo e às classes mais pobres, a canção ascendeu socialmente com a Severa (e o conde do Vimioso), que começou a cantar o género nos salões nobres. Este momento é aqui recriado por Liana, numa visão romantizada da lendária Maria Severa Onofriana, como contou ao C&H a própria artista.

“Esta é uma Severa mais romântica e eu estou muito feliz com as minhas cenas, de participar neste rojecto e de estar de volta a este lado da minha carreira”, confesou-nos a artista recentemente regressada de Londres, à margem da conferência de imprensa de apresentação da peça.

Para além da lenda da Mouraria, vão ser também homenageadas figuras como Hermínia Silva, Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro, entre outras grandes figuras do fado.

Uma homenagem que Filipe La Féria faz questão de salientar que, “Esta é a minha visão da História do Fado, é um musical cujo tema é o Fado, com canções originais, algumas da minha autoria, com um grande elenco, com cerca de 80 artistas, fadistas, bailarinos, não é uma recriação de fados, é a minha visão, é como eu vejo Portugal e o Fado”, afirmou ao C&H.

O encenador fez questão de dizer ainda que “Este é um La Féria para o Salão Preto e Prata, com toda as características e grandiosidade, características das suas produções, mas criado para esta sala, apresentando por isso um ar mais austero, e mais intimista, ao fim ao cabo, estamos a falar de fado e ao mesmo tempo a falar da história do nosso povo”.

Para já, o espectáculo está previsto ficar em cena no Casino cerca de um ano, (mas pode ser prolongado segundo Mário Assis Ferreira presidente do Conselho de Administração do Estoril-Sol), vai ter representações de quarta a sábado, às 21h30 (com duas opções – com ou sem jantar, o jantar é servido às 20h00), e às 17h00 aos sábados e domingos, com a duração de 1h30.

Os bilhetes custam entre 15 e 30 euros, 3º balcão e plateia respectivamente, e podem ser adquiridos no casino, online e locais habituais.

Texto e fotos de Elsa Furtado

Deixar uma resposta