Exposição Viacrucis de Botero é inaugurada hoje no Palácio da Ajuda em Lisboa

Reportagem de Elsa Furtado

No âmbito da visita do presidente da Colômbia a Portugal, a Galeria do Rei D. Luís I, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa recebe a partir de hoje a exposição Viacrucis – A Paixão de Cristo do artista plástico colombiano Fernando Botero, conhecido entre nós pelas suas esculturas de mulheres “volumétricas” que “ocuparam” o Terreiro do Paço entre 1997 e 1998.

Viacrucis – A Paixão de Cristo é uma série composta por 34 obras e 27 telas, de óleos e aguarelas, todas dedicadas à temática “religiosa” e à “Paixão de Cristo”, na prespetiva de Botero, com uma forte inflência da vida colombiana, como se pode observar em alguns pormenores, como o casario, as cores e os tipos das personagens. Ao mesmo tempo tem também o intuito de provocar uma reflexão sobre o drama da paixão e morte de Jesus Cristo, um tema que segundo Botero não tem sido abordado ultimamente nas Artes Plásticas.

Como já é habitual nas suas obras, destacam-se as figuras com “volumetria” (gordas), as cores quentes e fortes típicas das artes da América Latina, elementos da paisagem colombiana e destaque ainda para o facto de as portas e as janelas estarem sempre abertas ou com pessoas, numa intenção explícita do artista de criar dinâmica e interacção. “O Beijo de Judas”, “Cristo na Coluna”, “Verónica”, “Crucificação”, “Cristo Crucificado em Central Park”,  são algumas das obras produzidas entre 2010 e 2011, que o visitante pode agora admirar.

Depois de Lisboa, onde a mostra fica até dia 27 de janeiro de 2013, Viacrucis segue em viagem para a Alemanha, Espanha, Líbano e México, continuando o seu precurso iniciado em Nova Iorque e no Museu de Antioquia em Medellín – cidade natal de Botero.

Viacrucis – A Paixão de Cristo de Botero vai estar patente ao público na Galeria do Rei D. Luís I, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, até 27 de janeiro, de domingo a sexta-feira, das 10h00 às 18h00 e aos sábados até às 20h00. O dia de encerramento é às quartas-feiras e as entradas para a exposição custam 5 euros (bilhete normal).

Deixar uma resposta