Exposição em Grândola evoca Janusz Korczak, o reformador do mundo

expo_grandolaJanusz Korczak, médico, escritor, pedagogo e fundador de um orfanado para crianças judias, que acompanhou até ao fim, no campo de extermínio de Treblinka, é recordado através de uma exposição da Embaixada da República da Polónia, patente em Grândola até 6 de abril.

Nascido em Varsóvia, em julho de 1878, Janusz Korczak, pseudónimo de Henryk Goldsmit, formou-se em Medicina e desenvolveu paralelamente uma promissora carreira literária. Contudo, a sua notoriedade deve-se à dedicação ao ensino dos mais jovens e aos inovadores métodos pedagógicos.

Autor da célebre frase “ Eu não posso criar outra alma, mas posso acordar a alma adormecida”, fundou um orfanato para crianças judias, entre os sete e os catorze anos, que dirigia como uma democracia: as crianças tinham o seu próprio parlamento, jornal e tribunal, meios à sua disposição para debaterem questões inerentes à organização da vida no orfanato.

Desenvolveu inovadoras teorias educativas que o tornaram um pedagogo de referência e autor de obras no campo da teoria e prática educacionais. A sua crença na plena dignidade das crianças, que considerava “o mais antigo proletariado no mundo” – e na sua necessidade de amor e respeito, tornaram-no um pioneiro na defesa dos seus direitos.

Janusz Korczak ficou ainda conhecido pelo seu derradeiro ato heróico: prisioneiro no gueto de Varsóvia, juntamente com as duzentas crianças que habitavam a escola que dirigia, declinou as ofertas de amigos para se salvar, optando por acompanhar os seus alunos na viagem final para o campo de extermínio de Treblinka.

A exposição Janusz Korczak – Reformador do Mundo tem entrada livre e pode ser visitada na Biblioteca Municipal de Grândola de terça a sexta-feira entre as 9h00 e as 19h00, ao sábado das 10h00 às 13h00 e à segunda-feira das 13h00 às 19h00.

Texto de Ângela Nobre

Deixar uma resposta