Eventos do Centenário da República invadem Lisboa

Até dia 5 de Outubro, dia da implantação da República, haverá exposições ligadas à República abertas até à meia-noite em Lisboa, um baile na Alameda, entre outros espectáculos, todas as noite haverá uma apresentação multimédia no Terreiro do Paço e até as empresas de transportes se vão associar ao programa das comemorações.

É impossível enumerar todas as iniciativas, espectáculos de dança, teatro ou de rua, mas a semana promete ser animada e é quase tudo gratuito.

Na véspera do aniversário, que se assinala a 5 de Outubro, a EGEAC organiza o Grande Baile da República, que é co-produzido pela Pataca Discos e que vai ter como director artístico João Paulo Feliciano. O ilustre ex-candidato presidencial Manuel João Vieira é o mestre-de- cerimónias.

A partir das 21h30 de dia 4 (segunda-feira) é ele quem conduz os convidados por um espectáculo, de entrada gratuita, que começa com Pedro Burmester, seguido da Banda Sinfónica da GNR e com o Real Combo Lisbonense, chama Vitorino, Lenita Gentil, Jaime Nascimento e B Fachada e termina com o pé a sair do chão, ao ritmo do grupo brasileiro Orquestra Imperial.

Para dia 5, o Teatro de Palmela «o Bando», foi desafiado pela Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República para conceber e dirigir um espectáculo de grandes proporções, a ter lugar na Praça do Município. Nesse sentido, a companhia criou um evento civil de características populares denominado Os Bigodes na RES PUBLICA, que irá reunir, a partir das 10h00, um conjunto alargado de profissionais e não profissionais provenientes das mais diversas áreas artísticas e associativas, sob a direcção de João Brites.

“Serão Grupos de pessoas criando imagens de acções metafóricas e simbólicas, que falem por si e que recordem que, tal como em 1910, ainda faz sentido lutar pela liberdade, pela igualdade, pela solidariedade e pelo optimismo regenerador e progressista, criando uma memória colectiva que fortaleça a identidade nacional”, refere «o Bando».

A duração do evento será de 20 minutos e no final haverá um banquete popular de confraternização democrática e comemoração do Centenário da República Portuguesa, oferecido a todos os participantes.

Também será possível viajar num autocarro e visitar a Lisboa republicana durante todo o mês de Outubro. A visita é guiada por técnicos da Câmara Municipal de Lisboa, num autocarro da CARRIS, pelos locais emblemáticos da cidade de Lisboa relacionados com a Revolução do 5 de Outubro de 1910 e a Implantação da I República em Portugal.

O percurso tem início nos Paços do Concelho, seguindo Terreiro do Paço, Estação do Rossio (Rua 1.º de Dezembro), Praça Marquês de Pombal, Quartel de Campolide (Rua da Artilharia Um), Quartel de Campo de Ourique (Rua da Infantaria 16, 30), Quartel do Corpo de Marinheiros de Alcântara (Rua do Sacramento, a Alcântara) e Cordoaria Nacional (Rua da Junqueira).

O itinerário histórico envolve ainda uma visita às principais exposições do programa oficial do Centenário da República em Lisboa.

As escolas do ensino secundário e os idosos podem fazer este percurso de terça a quinta-feira, enquanto que as famílias e o público em geral têm os fins-de-semana reservados. As viagens decorrem entre as 11h00 e as 15h00.

Por Cristina Alves

Deixar uma resposta