Estórias na Casa da Comida apresenta novo conceito

Reabriu recentemente a Casa da Comida, com um novo nome, agora é, Estórias na Casa da Comida, um novo look e um novo conceito. A ideia da proprietária, Salomé Alcânatara, sobrinha de Jorge Vale, fundador do restaurante, foi retirar o ar austero e clássico da Casa da Comida, conferindo-lhe com a remodelação, um ambiente descontraído e jovem. Esta juventude reflete-se na própria equipa do restaurante, o chefe  é o jovem Miguel Carvalho, com experiência adquirida no Arola e no Amarra o Tejo; pelo não menos jovem escanção, Ricardo Morais, vindo do Bocca, onde criou uma carta de vinhos diferente e auspiciosa e pela restante equipa. 

Como boas vindas foi servido o Foral de Melgaço 2011 (Região Verde) a acompanhar os famosos croquetes e chamuças. A refeição iniciou-se com uma Espetada de atum e citronela em emulsão de aipo e sabores orientais, acompanhado do Pynga Selection 2010 (Região de Lisboa), a que se seguiu um Ovo a baixa temperatura, foie gras, azeite de trufa e pão com chouriço. O vinho servido foi Beyra Quartz 2011 (Região Beira Interior). Segui-se um Choco no sauté esbroado e chouriço e salsa acompanhado de risotto de limão e açafrão, servido com os vinhos Munda Encruzado 2010 (Região Dão) e Quinta do Côa 2008 (Região Douro). Depois veio uma Hamburguesa de rabo de boi, polenta frita e salada de pickles, degustado com Munda Touriga Nacional 2009 (Região Dão). A refeição terminou com a prova de duas sobremesas – Degustação conventual Sopa Dourada, pudim, papo de anjo e sorvet de limão e Mousse de chocolate negro, crocante de bolacha, especiarias e calda de tomilho, acompanhados por Quinta do Mondego 2008.

O espaço é constituído pela Sala da Biblioteca, Sala Azul e Sala dos Apontamentos ou Winebar, onde podem ser degustadas tapas, aperitivos e vinho a copo, como o misto de salgadinhos, com os croquetes de carne, rissol, chamuça; ardósia de queijos portugueses, um prego de atum fresco, entre muitos outros.

A parte do nome Estórias advém das muitas “histórias” de vida, de casamentos, de famílias, de aniversários, celebrações, encantos e desencantos que já passaram por este espaço. Para ficarem registadas surge agora o Livro de Estórias, onde cada cliente pode registar o seu apontamento. A primeira estória coube a Salomé Alcântara.

A carta de Vinhos reflete o espírito jovem do seu escanção, Ricardo Morais, que associa os vinhos a personalidades públicas, tanto nacionais, como internacionais.

A Casa da Comida não termina aqui, desdobra-se na cafetaria e no serviço de catering para casamentos e eventos diversos. O objectivo é, como desde a sua génese, manter bem alto o estandarte da excelência e qualidade, com um toque de evolução, modernidade e contemporâneo. Cumprindo o mérito alcançado com a estrela Michelin na década de 80, que tornou o restaurante um marco importante na gastronomia portuguesa.

Por Clara Inácio

Deixar uma resposta