Exposição “Encompassing the Globe”no Museu de Arte Antiga, em Lisboa

Custódia de Belém, os Painéis de São Vicente de Fora e os Biombos Japoneses Nambam, datados de finais do século XVI, integram desde ontem e até 11 de Outubro a exposição cartaz expo mnaa“Encompassing the Globe. Portugal e o Mundo nos séculos XVI e XVII”, da autoria do Smithsonian Institution, de Washington e que vai estar patente ao público no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

A mostra agora patente ao público no museu nacional, às Janelas Verdes, apresenta 173 peças, sendo 90 delas propriedade de colecções estrangeiras, públicas e privadas de países como Alemanha, Áustria, Bélgica, França, Dinamarca, Espanha, Holanda, Inglaterra, Itália, Rússia e Brasil, 55 objectos pertencem a colecções nacionais (públicas e privadas) e 28 são do Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA).

Aqui, os visitantes têm a oportunidade de ver peças de cartografia, objectos decorativos em marfim, imaginária, desenho, gravura, escultura, pintura, plumária, ourivesaria, tapeçaria, arte sacra e muitas outras, testemunhas e contadoras de histórias, de origens tão distintas como Brasil, Índia, América, China, Japão e claro Portugal.

Cartas de navegação, desenhos e pinturas de um novo mundo, arcas, jóias, esculturas, jóias, e muito mais, são alguns dos tesouros artísticos e históricos dados a conhecer ao visitante, num claro convite a uma viagem no tempo.Expo. MNAA

A exposição, além de mostrar como os “outros” viam a Europa e os europeus, “foca também a importância que Portugal teve nos séculos XVI e XVII, na criação de redes de comunicação em tempo real, o estabelecimento de mercados internacionais e o intercâmbio cultural, artístico, científico e linguístico, que permitiram ao nosso continente, influenciar e ser influenciada por outras culturas”. “Não é uma exposição sobre os Descobrimentos, mas sim sobre as relações entre culturas”, disse o director do MNAA, Paulo Henriques, durante a apresentação à imprensa.

A comissão científica é composta por Julian Raby, Jay Levenson,  Nuno Vassalo e Silva, Regina Krahl e Jean Michel Massing, a exposição conta com os apoios dos Ministérios da Cultura, através do IMC (Instituto de Museus e Conservação) e do Ministério da Economia, através do Instituto de Turismo de Portugal (IMT).

52.©Ratsschulbibliothek Zwickau
Mapa-múndi planisférico - Ratsschulbibliothek Zwickau

A mostra foi inicialmente apresentada em Nova Iorque, tendo seguido depois para Bruxelas e chega agora a Lisboa, onde foi ampliada e reestruturada.

Aqui, a organização espera receber entre 100 a 120 mil visitantes, a juntar aos 440 mil que a viram no estrangeiro e pode ser visitada de  quarta-feira a domingo das 10h00 às 18h00, terça-feira das 14h00 às 18h00 e encerra às segundas-feiras.

Os bilhetes só para a exposição custam 5 euros para os adultos, 2.50 euros para jovens dos 15 aos 25 e para mais de 65 anos, e 1 euro para professores e alunos inseridos em visitas escolares.

Fotos: Elsa Furtado
Mapa e Cartaz da exposição fornecidos pela organização (MNAA – IMC)


Deixar uma resposta