Emirates Airlines aumenta destinos e frequências aéreas

A companhia áerea Emirates Airlines, que voa entre Lisboa e o Dubai desde o dia 9 de julho, aumentou o seu número de operações, com a realização de dois novos voos, todas as sexta-feiras, para a Jordânia a partir do Dubai, país para onde a companhia, passa  a ter um total de 14 voos semanais.

Este voo vai partir do Dubai às 7h25 de cada sexta-feira e aterrar em Amã às 9h20. O voo de regresso está marcado para as 11h15 com aterragem no Dubai marcada para as 15h10.

A juntar aos destinos já operados pela companhia aérea, a Emirates soma ao seu leque de oferta Washington, como novo destino, que desde a semana passada liga Dubai a Washington, com um voo diário directo, esta é a sétima ligação da Emirates nos Estados Unidos, e a décima segunda a juntar-se este ano à rede internacional da companhia.

Os novos voos são operados em avião Boeing 777-200 LR, com os passageiros a poderem beneficiar de suites privadas em primeira classe. O voo parte do Dubai às 2h20 e chega ao aeroporto internacional deWashington às 8h50, o voo de regresso está marcado  para as 10h55 e aterra no Dubai às 8h00 do dia seguinte.

Outra das novidades anunciadas recentemente pela companhia é o estabelecimento de um acordo de code-share entre a Emirates e Qantas (companhia áerea australiana), a entrar em vigor a partir de abril de 2013 e que será válido por 10 anos, reforçando a rede de destinos oferecidos pela companhia australiana na Europa, Médio Oriente e África.

A parceria distingue a Qantas como a única companhia área, além da Emirates Airline, a operar no Terminal 3 do Aeroporto Internacional do Dubai e ambas as companhias aéreas passam a disponibilizar, conjuntamente, 98 serviços semanais entre a Austrália e o Dubai, estando incluídos quatro voos diários no A380, que farão diversos voos para a Europa, nomeadamente para destinos como Londres, Paris, Moscovo, Amesterdão, Munique e Roma.

Com este code-share, a Qantas adiciona à sua rede 70 destinos na Europa, Médio Oriente e África, sendo também permitido aos passageiros que usufruam dos programas de passageiros frequente de ambas as companhias, coordenação de tarifas, vendas e horários, bem como um modelo de partilha de benefícios.

Por Elsa Furtado

Deixar uma resposta