Golegã uma terra de tradições

A Feira da Golegã, que decorreu até domingo dia 14 de Novembro, é sinónimo de tradição. Local onde o visitante pode apreciar cavalos, roupas tradicionais de cavaleiros e campinos, as magníficas selas, botas, apetrechos diversos, as atrelagens e não podendo esquecer os magníficos chapéus.

Visitar a Feira da Golegã é sinónimo de uma visita no tempo, pois por umas ruas vemos circular praticamente só cavalos e atrelagens, os carros são deixados para trás. A prioridade de passagem pertence a cavaleiros e atrelagens. O local mais animado e de maior concentração é o Largo do Arneiro, onde vão desembocar todos os caminhos.

A Feira é ainda o local ideal para degustar magníficos pratos de carne, como por exemplo a carne alentejana de denominação de origem controlada, o que nos assegura estar a apreciar carne da melhor qualidade. A certificação DOC exige um controlo apertado da qualidade, sendo vistoriados de quinze em quinze dias pela União Europeia.

Podemos apreciar doçaria de diversos pontos do país disponibilizada em diversos stands, além das costumeiras farturas, pipocas e algodão doce. Os stands são também um bom local para se adquirir botas alentejanas, samarras, capotes, cintos e chapéus, a que acresce toda a equipagem de equitação.

As noites na Golegã também são famosas, por estes dias são inúmeros os espectáculos e animação que surgem nos bares já existentes, ou em espaços improvisados, que entre sevilhanas, flamenco e muita música, podem até incluir dança a cavalo, nos espaços preparados para tal.

Um mundo único, uma terra única, que pode ser também visitada e apreciada durante o resto do ano.

Reportagem de Clara Inácio (texto) e Elsa Furtado (fotos)

Deixar uma resposta