Diana Krall em tom intimista em mais uma noite de EDP Cool Jazz

Reportagem de Miguel Quesada (fotos) e texto de Alexandra Gil

 

Miguel Quesada Photo

O EDP Cool Jazz recebeu ontem, dia 24, a visita de Diana Krall. E pode dizer-se que esta foi uma visita de médico, uma vez que a cantora se limitou a interpretar dezena e meia de temas.

Como quantidade nem sempre é sinal de qualidade, Diana Krall presenteou o público no Jardim Marquês de Pombal com temas do seu último álbum, Gald Drag Doll, no qual dá nova roupagem a clássicos dos anos 20 e 30.

O arranque da festa coube a “We Just Couldn’t Say Goodbye”, mas foi “Just Like a Butterfly That’s Caught in the Rain” que a canadiana disse ser um dos seus preferidos. A respirar simpatia e muito comunicativa com a audiência, a cantora confessou que todos os elementos da banda, ela inclusive, sabiam tocar ukelele, especialmente depois de beberem uns gins. A este momento de boa disposição seguiu-se o mood romântico de “Everything’s Made for Love”, tendo o amor continuado no ar e a fazer as delícias dos casais apaixonados presentes com “Let It Rain”.

A qualidade da banda que acompanha Diana Krall fez-se notar, depois, no muito aplaudido solo de guitarra de “Temptation”, um original de Tom Waits. “Let’s Face The Music and Dance” fez-se também ouvir, mas não sem antes a cantora se confessar uma apreciadora da gastronomia portuguesa.

“I’m Gonna Sit Right Down and Write Myself A Letter” e “I’m A Little Mixed Up” marcaram o final do meteórico concerto, que terminou mesmo após um não menos rápido encore com duas canções.

 

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.