Diana Krall em tom intimista em mais uma noite de EDP Cool Jazz

Reportagem de Miguel Quesada (fotos) e texto de Alexandra Gil

 

Miguel Quesada Photo

O EDP Cool Jazz recebeu ontem, dia 24, a visita de Diana Krall. E pode dizer-se que esta foi uma visita de médico, uma vez que a cantora se limitou a interpretar dezena e meia de temas.

Como quantidade nem sempre é sinal de qualidade, Diana Krall presenteou o público no Jardim Marquês de Pombal com temas do seu último álbum, Gald Drag Doll, no qual dá nova roupagem a clássicos dos anos 20 e 30.

O arranque da festa coube a “We Just Couldn’t Say Goodbye”, mas foi “Just Like a Butterfly That’s Caught in the Rain” que a canadiana disse ser um dos seus preferidos. A respirar simpatia e muito comunicativa com a audiência, a cantora confessou que todos os elementos da banda, ela inclusive, sabiam tocar ukelele, especialmente depois de beberem uns gins. A este momento de boa disposição seguiu-se o mood romântico de “Everything’s Made for Love”, tendo o amor continuado no ar e a fazer as delícias dos casais apaixonados presentes com “Let It Rain”.

A qualidade da banda que acompanha Diana Krall fez-se notar, depois, no muito aplaudido solo de guitarra de “Temptation”, um original de Tom Waits. “Let’s Face The Music and Dance” fez-se também ouvir, mas não sem antes a cantora se confessar uma apreciadora da gastronomia portuguesa.

“I’m Gonna Sit Right Down and Write Myself A Letter” e “I’m A Little Mixed Up” marcaram o final do meteórico concerto, que terminou mesmo após um não menos rápido encore com duas canções.

 

Deixar uma resposta