Concerto dos Depeche Mode no Atlântico deixou no ar vontade de mais!

depeche_lisboa_2874Depois de dois concertos cancelados, um em 2006 e outro mais recentemente, no Super Bock Super Rock no Porto, foi com grande euforia que um Pavilhão Atlântico cheio de gente, cerca de 14 mil pessoas, recebeu os Depeche Mode em Lisboa, para o concerto de promoção do mais recente trabalho da banda britânica – Sounds of the Universe.

Nem a chuva miúdinha, o jogo decisivo da selecção ou a interminável fila para levantar os bilhetes e entrar no recinto desmotivaram o público de idades variadas que assistou ao concerto, três anos depois da anterior actuação. O entusiasmo era visível.

Com um enorme ecrã de vídeo como pano de fundo, e envolvida num intenso e bem conseguido jogo de luzes e imagens, a performance de Dave Gahan foi entusiasta e envolveu o público, ainda que os mais atentos e exigentes lhe tenham apontado algum cansaço na voz e uma actuação menos poderosa. Martin Gore teve direito a três temas a solo, um dos quais o impressionante e intimista “Home”.

O alinhamento incluiu alguns temas do último álbum, Sounds of The Universe, mas também alguns dos incontornáveis clássicos dos álbuns mais antigos, bem como algumas escolhas menos óbvias e consensuais.

depeche_lisboa_2937Houve espaço para algumas surpresas, como a inclusão do “One Caress”, que tem estado fora dos alinhamentos. Nos momentos mais altos, a multidão agitou braços, aplaudiu e tomou conta dos refrões.

“Stripped”, “Behind The Wheel” e “Personal Jesus” fecharam a actuação, e a sensação que ficou no ar foi que todos esperavam mais, num segundo encore que não chegou a acontecer.

Texto de Alexandra Fonte
Fotos de Sara Santos

Deixar uma resposta