Dança contemporânea sobe ao palco do Maria Matos em Novembro

Inserido no Festival Temps d’Images,  é apresentado no Teatro Maria Matos, de 3 a 8 de Novembro, o projecto Untitled, Still Life, de Ana Borralho e João Galante em colaboração com Rui Catalão.

Este é um espectáculo de dança contemporânea que se assume um trabalho de partilha de experiência de gente em trânsito, onde o público é convidado a fazer parte da partilha do espaço e das cenas.

Uma frase, fixada na parede de um restaurante, serviu de mote aos criadores: “dança como se ninguém estivesse a ver-te”.

Untitled, Still Life evoca a suspensão da vida, “que passa a ser possível apenas após ter sido submersa no domínio da imagem”: desde o início, ao fim, o palco adquire o estatuto de plateia, “mas somente de modo a que a arbitrariedade gestual do público seja sustida pelo olho, a um tempo cego e omnividente, da máquina fotográfica”.

No palco, o único adereço de cena é um sofá, estabelecido como cenário constante para um álbum de família, “ele próprio um marco a definir presenças e ausências: quem ficava, quem esperava, quem partia, quem voltava”.
Durante o período de apresentação do espectáculo Untitled, Still Life decorre a exposição de fotografia I Put a Spell on You e a projecção do vídeo Vanishing Act de Ana Borralho e João Galante.

O espectáculo vai estar patente na Sala de Ensaios do Maria Matos, de 3 a 8 de Novembro, de segunda-feira a sábado, às 21h30 e no domingo às 18h00. Os bilhetes custam entre 6 euros (para menores de 30 anos) e 12 euros.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta