D. Maria II recebe peça brasileira Missa de Quilombos

Reportagem de Elsa Furtado (Texto) e Sara Matos (Fotos)

Sobe hoje à cena no Teatro Nacional D. Maria II a peça Missa de Quilombos, pelo grupo Ensaio Aberto e integrada na programação do Ano do Brasil em Portugal, e pode ser vista até domingo, dia 18, às 20h00. A peça aborda a exclusão social na sociedade moderna e tem como cenário invulgar e ritmado uma Usina. 

Missa de Quilombos foi composta em 1981, por Milton Nascimento, Pedro Tierra e Dom Pedro Casaldáliga, tem direção geral de Luiz Fernando Lobo e direção musical de Túlio Mourão. Em cena estão 21 atores e oito músicos, que se apresentam num cenário de 15 toneladas, representando uma usina de produção com 43 máquinas diferentes, que vão desde um singelo moinho até uma turbina de avião. Para falar de todos os excluídos, os atores cantam, dançam e representam. O espetáculo segue a estrutura padrão de uma missa, e inclui, entre outras etapas, o “Rito Penitencial”, “Ofertório”, “Rito da Paz” e uma “Ladainha”. Nas 11 músicas compostas por Milton Nascimento, onde há vários trechos recitados, o vocabulário cristão se alia a expressões africanas, numa fusão de sons, danças e cores.

A cenografia é da autoria de Cláudio Moura e os figurinos de Beth Filipecki, inspirados no livro Trabalhadores, do fotógrafo Sebastião Salgado.

Missa dos Quilombos traz a história dos negros no Brasil misturando o rito católico com as expressões da cultura afrobrasileira. No espetáculo, a cultura negra é representada de várias maneiras. Da percussão com toques de jongo e candomblé às danças dos orixás, a missa é em louvor a Xangô, o orixá da Justiça. Como segue a estrutura normal de uma missa, na parte da “Aleluia” há uma luta de espadas de Maculelê. Em outros dois momentos, o elenco também toca caixas da Congada Mineira e pandeiros gigantes do bumba-meu-boi do Maranhão.

Em cima do palco do D. Maria II vão estar Aurora Dias, Chamon, Cláudio Bastos, Cristianne de Souza, Deoclides Gouvêa, Flávia dos Prazeres, Fernando Muzzi, Forró, Alabe, Gilberto Miranda, Helena Cutter, Joana Marinho, Juliana Rubim, Ladston do Nascimento, Leandro Vieira, Letícia Soares, Luiza Moraes, Manoel Evangelista, Nelson Reis, Valéria Monã e Tuca Moraes, que prometem encantar.

A peça pode ser vista hoje e sábado às 21h00, e domingo, dia 18, às 16h00 e às 20h00. Os bilhetes variam entre os 8 e os 30 euros e podem ser adquiridos na bilheteira do Teatro e no site do mesmo.

Deixar uma resposta