António Chaínho abre Outubro no Centro Olga Cadaval em Sintra

O Centro Olga Cadaval, em Sintra, inícia hoje a sua programação de Outubro, com a presença de António Chaínho, que às 22h00 vai apresentar LisGoa, o seu novo álbum, que vai ser editado em Janeiro próximo, e no qual o guitarrista explora as sonoridades da música indiana misturadas com a guitarra portuguesa.achainho

No palco do Auditório Jorge Sampaio, além de António Chaínho (guitarra portuguesa) estarão a fadista Isabel de Noronha – que encarnou o papel de Amália jovem no musical Amália de Filipe La Féria –, a cantora indiana Natasha Lewis, Tiago Oliveira (guitarra clássica), Carlos Barreto Xavier (teclados e programações), Paulo Sousa (sitar) e Raimund Engelhart (tablas).

O espectáculo é dirigido a maiores de seis anos, e os bilhetes têm um preço de 20 euros (1ª Plateia), 15 euros (2ª Plateia), ou 10 euros (Balcão).

Também a não perder, no dia 9 às 22h00, o Auditório Acácio Barreiros, do Centro Cultural Olga Cadaval, apresenta um recital de Gérard Caussé (viola de arco) e Filipe Pinto-Ribeiro (piano), que inclui obras de Ludwig van Beethoven, Franz Schubert e César Franck.

Neste concerto, os músicos irão interpretar obras-primas de música de câmara, como as Sonatas de Franck e a Opus 69 de Beethoven, em versões para viola e piano raramente interpretadas.

Os bilhetes custam 15 euros.

No dia 23 de Outubro o Centro Olga Cadaval recebe um dos grandes nomes da nova geração do fado, Pedro Moutinho. Com presença marcada para as 22 horas, no Auditório Acácio Barreiros, o fadista apresenta “Um Copo de Sol”, o seu novo álbum, que em 2008 recebeu o Prémio Amália.

Neste trabalho, o fadista rodeia-se de grandes poetas – Pedro Tamen, Aldina Duarte, Manuela de Freitas – e canta melodias imaginadas por Rodrigo Leão, Tiago Bettencourt, Amélia Muge e Pedro Campos.

A entrada são 15 euros.

CColga Cadaval1No dia seguinte, o mesmo auditório vai receber, às 22h00, o grupo Golbang, que utiliza instrumentos tradicionais iranianos como o santour, daf, tar, bamtar, dayereh , ney, kamancheh e tombak, para, através da sua musicalidade, darem a conhecer um pouco mais da cultura do Irão.

A artista Behnaz Zakeri é  a compositora e santourista (quem toca o santour) do grupo, acumulando também o cargo de perita do Ministério da Cultura e Orientação Islâmica do Irão, membro da orquestra sinfónico Nacional do Irão e docente universitária.

Os bilhetes têm o preço de cinco euros.

A agenda cultural do Centro Olga Cadaval encerra a 31 de Outubro, com a peça Elas sou Eu – O que a gente não faz para pagar a renda.

Neste espectáculo, o público vai ter a oportunidade de saber “o que acontece quando uma empregada doméstica consegue convencer o seu patrão, na véspera de uma estreia, de que ele é um péssimo actor”. Esta é a história de Lucineide, a empregada que em tempos foi actriz, “capaz de tudo para desencorajar o patrão só pela oportunidade de voltar a pisar um palco”. Em palco, esta personagem vai representar “mulheres que, como ela, nunca deixam de sonhar e que são capazes das maiores artimanhas para realizarem os seus sonhos”.

Um divertido espectáculo que vai estar em cena no Auditório Acácio Barreiros. Os bilhetes são 10 euros e assim como a maior parte dos eventos que decorrem no Centro Olga Cadaval, tem um desconto de 2,50 euros para menores de 18 anos e maiores de 65 anos.

Por Cristina Alves

Deixar uma resposta