Castelo de Silves foi cenário para noite de jazz com Jean Luc Ponty

No passado sábado, dia 4 de Setembro, sob o olhar atento de D. Sancho I, entraram no castelo de Silves várias centenas de pessoas para “ouver” Jean Luc Ponty & his Band, um concerto integrado no programa Allgarve 2010, e simultâneamente na organização da Câmara Municipal de Silves “Jazz no Castelo de Silves”.

Num concerto em que fez uma “revisão” de muitos dos seus álbuns, Ponty mostrou ao público o porquê de ser considerado único no que toca ao virtuosismo empregue na utilização de um instrumento normalmente associado à música clássica, para tocar composições jazz-rock. No seu estilo próprio, em que basicamente imita o fraseado de um solista bebop, Jean Luc Ponty passou também ocasionalmente pelo “free jazz”, levando o público a manifestar-se ruidosamente com calorosos aplausos.


Apesar de ter também apresentado vários temas dominados pelos sintetizadores por si programados, (Ponty abraçou as novas tecnologias como ferramenta de trabalho desde os anos 80), Jean-Luc deu espaço a William Leconte (teclas) e Guy Nsangué Akwa (baixo), seus companheiros de estrada há 10 e 20 anos, respectivamente, e a Damien Schmitt na bateria (fez um solo fenomenal de quase 5 minutos) para que mostrassem a sua técnica e vocação para a música jazz.

O espectáculo teve a duração de mais de 90 minutos e, para quem segue a carreira do grupo, foi, à semelhança do seu último álbum The Atacama Experience, o resultado de uma banda que está junta há vários anos e o culminar de toda a carreira de fusão de Jean Luc Ponty.

Texto e Fotos de Paulo Sopa

Deixar uma resposta