Carlos Paião em dose dupla, com o álbum Carlos Paião – 25 anos depois

CarlosPaiaoA  EMI Music lançou recentemente o  álbum duplo de Carlos Paião, Carlos Paião – 25 anos depois, com 37 temas de sua autoria, entre as quais “Play-Back”, “Cinderela” e “Pó de Arroz”, entre muitas outras.

O editor discográfico é David Ferreira, que também assina o texto que acompanha o álbum, onde afirma que Carlos Paião tinha “…tanto talento, que ainda hoje, vinte e cinco anos depois de ter deixado de nos surpreender com canções novas, nos confunde ele não ter sabido administrar melhor esse extraordinário dom”. O editor não resiste a acentuar o ser humano que era Carlos Paião, sem pose ou extravagâncias de artista, sempre disponível para a família, amigos, colegas e sempre pronto a dar resposta a pedidos de músicas, como foi o caso do Bamos Lá Cambada, que foi a resposta ao pedido para um hino não oficial para a selecção.

Paião foi surpreendido por uma morte prematura com apenas 30 anos, em 1988, deixando um legado invejável de músicas, que marcaram o panorama musical português, e continuam bem presentes e actuais. Segundo as próprias palavras de Paião “Eu defendo que o difícil é trabalhar o simples sem dar cabo dele. Complicar e baralhar é bastante mais fácil..”

Carlos Paião concorreu ao Festival RTP da Canção em 1981, com o tema Playback,vencendo e representando Portugal no Festival da Eurovisão, em Dublin. Em 1982 edita o seu primeiro álbum, Algarismos. Licenciou-se em Medicina em 1983. Colaborou com Herman José e escreveu para outros artistas, onde se encontram os nomes de Amália Rodrigues, Lenita Gentil, Mísia, José Alberto Reis, Alexandra.

Texto de Clara Inácio

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.