Carlos do Carmo tem novo disco na companhia de Bernardo Sassetti

Segunda-feira, dia 15 de Novembro foi a data escolhida para o lançamento do mais recente trabalho discográfico de Carlos do Carmo, num projecto inédito na companhia do pianista Bernardo Sassetti, com a chancela da Universal Music.

Não é um disco de jazz nem de fado, mas será uma fusão entre as personalidades musicais de ambos. Um reportório único traçado entre clássicos da música portuguesa e temas eternos do cancioneiro internacional. A engenharia de som ficou a cargo de Tó Pinheiro da Silva.

A escolha de Carlos do Carmo, debatida com Bernardo Sassetti, recai sobre músicas nunca antes cantadas, tocadas ou gravadas por nenhum dos intervenientes. José Afonso, Sérgio Godinho, Fausto e Rui Veloso foram os compositores nacionais escolhidos. Violeta Parra, Léo Ferré e Jacques Brel surgem igualmente revisitados neste encontro inédito.

Pelo meio, uma composição inédita de Bernardo Sassetti com um poema de Mário Cláudio, “Sol” – um tradicional açoreano –, e “Talvez por acaso”, fruto de uma parceria de Manuela de Freitas e Carlos Manuel Proença. O disco apresenta ainda um documentário realizado por Aurélio Vasques, que apresenta momentos íntimos de estúdio entre estes dois grandes músicos portugueses, assim como takes de gravação do disco, bem como o making off.

“Gracias a la Vida” (Violeta Parra), “Avec Le Temps” (Léo Ferré), “Lisboa que Amanhece” (Sérgio Godinho), “Porto Sentido” (Carlos Tê / Rui Veloso) e “Cantigas do Maio” (José Afonso) são alguns dos temas que a dupla reinterpretou e que podem agora ser apreciados.

Um trabalho a que Carlos do Carmo se referiu recentemente, no concerto no Pavilhão Atlântico na companhia da Count Basie Orchestra, como um desafio “louco” da sua editora e que ele “também louco acedeu”.

Texto de Cristina Alves

Deixar uma resposta