Biblioteca Nacional Recebe Exposição Amarante – Pascoaes: Do Solar De Gatão Ao Universo

Pascoaes: de Amarante (Solar de Gatão) ao Universo é a mostra que a Câmara Municipal de Amarante trouxe à Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), onde pode ser vista até dia 6 de maio na sala de exposições do 2º piso.

A exposição recria a atmosfera do espaço familiar e de escrita do poeta, reunindo um vasto conjunto de epístolas de e para Pascoaes, cartões-postais, manuscritos e datiloscritos de algumas das obras fundamentais do autor, fotografias de família, amigos e admiradores e ainda alguns exemplares da sua obra plástica.

Nesta mostra podemos ver uma recriação panorâmica do escritório do poeta na sua casa – o Solar de Gatão; o segundo núcleo é dedicado à sua obra e expressão plástica, patente nas suas ilustrações; e no terceiro momento é dedicada ao homem, de seu nome Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos, dando ênfase quer ao contacto que mantinha com os amigos e cultores da época, quer aos manuscritos e epístolas que atestam a riqueza da sua produção.

Também a Serra do Marão é lembrada na exposição, devido à importância que teve na obra e na forma de ser de Teixeira de Pascoaes.

Amo-te, ó grande serra maternal!
Amo-te, desde a fonte piedosa
Que dos teus flancos mana, duma casta
E fresca transparência religiosa
(…)»

Aqui, o visitante pode ver desde objetos pessoais, objetos de família, a alguns documentos inéditos ou tão raros que assumem uma importância crucial para compreender o ambiente que circundava o poeta, duas oferendas: uma, de Mário de Sá-Carneiro com uma dedicatória reverencial ao poeta e, outra, os dessins de Amadeo Souza-Cardoso, com dedicatória ao amigo e poeta e um bilhete-postal de Espinho, falando do espírito burguês que aí abundava.

A mostra termina com a visualização de duas películas (datadas, respetivamente, de 1970 e 1974) sobre a vida e obra de Teixeira de Pascoaes, cedidas pela Câmara Municipal de Amarante, pela Biblioteca Albano Sardoeira e pela RTP; e ainda um pinheiro trazido diretamente de Amarante: “apontamento que celebra a Natureza e lembra dois episódios surpreendentes da sensibilidade anímica do autor”.

Pretende-se, pois, com esta exposição recriar a atmosfera peculiar da criação de Teixeira de Pascoaes ou a resposta singular que dirige a sua atividade intelectual, admitindo, por um lado, a estreita ligação entre a índole do poeta e o sistema por si ideado e, por outro, a intimidade existente entre uma ideia tornada nome verdadeiro e a visão plástica que dela nunca se liberta

Explicam os responsáveis da mostra.

Pascoaes: de Amarante (Solar de Gatão) ao Universo pode ser vista até dia 6 de maio, de segunda a sexta feira, das 9h30 às 19h30, e sábado das 9h30 às 17h30, gratuitamente.

Deixar uma resposta