Between Waves de David Fonseca chega hoje ao Coliseu

David Fonseca é um dos músicos mais bem sucedido das últimas décadas, tanto com os Silence Four como com a sua carreira a solo. O Canela e Hortelã esteve com o cantor a propósito da sua mais recente tournée Between Waves, que terá com um dos pontos altos os concertos nos Coliseus este mês.

Between Waves é não só o nome da nova tournée de David Fonseca mas também o nome do mais recente álbum de David Fonseca, editado em Novembro de 2009 com a chancela da Universal, e que recentemente não só entrou novamente para o TOP 10 Nacional como atingiu o galardão de Disco de Ouro.

Um álbum que o músico nos descreveu como sendo a conclusão do disco anterior, um álbum festivo que foi escrito na estrada durante a digressão do meu terceiro disco e que acaba por estar entre a festa e a ressaca no dia seguinte, fala das histórias e das pessoas que se conhecem na estrada, da distância e da profissão de músico“.

Aproveitámos ainda para esclarecer uma das perguntas que há muito pairava no ar, o facto de David Fonseca cantar em inglês, se era algo natural ou uma estratégia de marketing?

O músico respondeu-nos prontamente que “cantar em inglês pode dificultar a acção de chegar ao main-streem português, porque as pessoas têm uma ligação mais próxima com a língua que falam. Julgo que é um factor que joga contra mim, a ideia que a música em inglês tem mais sucesso do que a música cantada em português é uma perfeita mentira, se repararmos bem não há muitas bandas a cantar em Portugal que não chegam ao meio mais comercial. Sempre vi o meu caso como excepção e não como uma regra. Se eu quisesse ter muito sucesso no estrangeiro o que eu fazia era cantar fado em português porque é o que as pessoas lá fora querem ouvir”.

Apesar desta excepção e de todo o sucesso o músico não deixa de se mostrar surpreendido quando constata que a sua música chega ao main-streem nacional porque segundo diz julga “ter conquistado um espaço que demonstra que nem toda a gente tem de ser igual”, afirmando ainda que não achar que os seus discos e canções tenham uma característica comercial como outras têm.

Uma diferença que promete levar também aos coliseus de Lisboa e do Porto, dia 9 e 16 de Abril respectivamente.

David Fonseca promete “uma componente visual muito forte que já vem da digressão anterior, mas desta vez decidimos subir a fasquia com uma abordagem que vai incluir as pessoas num universo musical não só através dos sons mas também através de um universo muito visual e que faz com que as pessoas se insiram naqueles momentos e esperançosamente se esqueçam da vida e de tudo o resto” sem no entanto quais serão as muitas surpresas que esperam o público destes concertos.

Descartada está para já  a hipótese de um DVD ao vivo visto ter editado o registo da anterior tournée há pouco tempo.

O músico revelou ainda ao Canela e Hortelã que, apesar de ser perfeccionista não tem superstições antes de entrar em palco, apenas alguma ansiedade gerada pela espera inicial, sentimento que o assola quer seja em “grande salas como nas mais pequenas, realçando que se sente mais confrontado em sítios mais pequenos por serem mais pessoais e mais personalizados, porque conseguimos ver as caras todas à nossa frente em contraste com as salas maiores”.

Os bilhetes para os concertos nos Coliseus encontram-se à venda nos pontos de venda habituais.

Texto Rui Costa
Fotos Sara Santos

Deixar uma resposta