Beba café – é bom para a saúde

CIMG0542 Por Clara Inácio 

Os portugueses são fãs e adeptos de café, este é um facto adquirido, chegando muita das vezes a beber mais de dois cafés por dia, pois bem, para aqueles que não podem passar sem a sua dose de cafeína, podem agora ficar descansados, pois segundo estudos efetuados pela Nestlé (e não só) o café é benéfico para a saúde.

A Nestlé, conhecida e prestigiada marca do setor alimentar e proprietária de duas das mais conhecidas marcas de café vendidas em Portugal: a Sical e a Nespresso, realizou recentemente um workshop, onde falou das vicissitudes e malefícios do café e desmistificou algumas ideias.

Depois da Delta, e a par da Nicola, a Sical é uma das marcas mais bebidas em Portugal fora de casa, para garantir a qualidade do seu produto, a marca, que tem 8 blends de 12 origens distintas, realiza diariamente provas de controlo de qualidade dos lotes do café adquiridos e do café embalado, com a realização de duas degustações diárias – às 9h00 e às 15h00.

As provas são feitas por um painel de 18 degustadores, estando sempre presentes, seis. A degustação é sensorial, realizada por trabalhadores da fábrica, que previamente recebem formação e fazem uma reciclagem anual.

Para a qualidade de um blend, a secagem é fundamental, tal como a percentagem da origem e o grau de torra. Entre eles, o café arábico tem mais aroma e menor cafeína, já o café robusto tem mais cafeína e menos aroma.

CIMG0535 CIMG0539 CIMG0540

Dados científicos indicam que a cafeína presente no café é um alcaloide da família das xantinas, que faz aumentar a capacidade de atenção, melhora a concentração e o humor, reforça a libertação de catecolaminas, reduz a sensação de fadiga, reduz o tempo de reacção e favorece a utilização da gordura no esforço físico. Os antioxidantes presentes ajudam a neutralizar a acção dos radicais livres, contribuindo para a sua eliminação do organismo e o café é uma das fontes mais importantes de antioxidantes.

Segundo o J Epidemiol Community Health “Consumir 1 a 2 cafés por dia reduz o risco de mortalidade cardiovascular em 38% nos homens e 22% nas mulheres”.

O organismo leva 4 a 6 horas para metabolizar a cafeína e eliminar os seus os efeitos. Durante a gravidez este processo leva 18 horas. A cafeína atravessa a barreira placentária. No entanto, não há qualquer contraindicação para que as consumidoras de café, o deixem de consumir durante a gravidez.

CIMG0543

Os estudos não suportam o efeito diurético do café e portanto não há qualquer associação entre consumo de café e  desidratação. O consumo de café torna-se um hábito mas não cria uma verdadeira dependência. Já o descafeínado difere do café apenas na ausência de cafeína, o que pode ser positivo para as pessoas sensíveis à cafeína.

O consumo regular de café, 3 a 5 chávenas por dia, tem mostrado não ser prejudicial à saúde, tendo pelo contrário mostrado ser benéfico, aumenta a capacidade de estar alerta e menor tempo de resposta,  promove a saúde cardiovascular, reduz o risco de demência (Parkinson, Alzheimer),  reduz o risco de diabetes tipo II,  existem evidências emergentes ao nível da redução do risco de cancro do pâncreas.

Depois de todas estas indicações, agora só lhe resta ir beber um café, mas siga um conselho… beba devagar e deixe às suas papilas gustativas a tarefa de descobrir os aromas, desfrutando assim do prazer de beber uma boa bica ou um bom cimbalino.

 

Deixar uma resposta